fbpx
Esporte

Em noite inspirada de Weverton, Palmeiras derrota o Ceará por 1 a 0

Diferença do Verdão para o líder Flamengo, que joga no domingo, caiu para cinco pontos
Em noite inspirada de Weverton, Palmeiras derrota o Ceará por 1 a 0
Goleiro Wéverton, do Palmeiras, defendeu pênalti contra o Ceará. Crédito da Foto: Julio Zerbatto/MyPhoto Press/Estadão Conteúdo

Graças ao goleiro Weverton, o Palmeiras diminuiu para cinco pontos a vantagem do Flamengo na ponta do Brasileirão, ao menos até o líder entrar em campo, no domingo (3).

A equipe alviverde derrotou o Ceará por 1 a 0 neste sábado (2), no Allianz Parque, mas não parecia ser o mesmo time que passou por cima do São Paulo na rodada passada.

Leia mais  Palmeiras atropela o São Paulo no Allianz e amplia freguesia do rival

 

Com uma atuação apagada, os comandados de Mano Menezes contaram com uma noite inspirada do goleiro para garantir mais três pontos e diminuir para cinco a diferença para o Flamengo (68 a 63).

Foi a 100ª vitória do Palmeiras na história do Allianz Parque. Em 149 jogos, foram 100 vitórias, 27 empates e 22 derrotas.

O feito histórico foi conquistado de forma discreta e com o goleiro alviverde salvando o time em pelo menos quatro oportunidades. Em uma delas, pegou pênalti. Já o Ceará tem 33 pontos e figura na 15ª colocação.

Um fato curioso é que muitos palmeirenses deverão torcer para o Corinthians neste domingo. Afinal de contas, o rival vai enfrentar o Flamengo, no Maracanã, e um tropeço do time carioca faz a esperança alviverde aumentar muito.

O jogo

Mais uma vez, o VAR chamou a atenção. Aos 41 minutos do segundo tempo, o meia Felipe marcou o gol de empate do Ceará, mas o árbitro, com seus assistentes de vídeo, marcou um impedimento bastante polêmico. Os cearenses reclamaram que Gustavo Gómez parecia estar na mesma linha do jogador do Ceará.

Empolgados com a vitória por 3 a 0 sobre o São Paulo na rodada passada, o Palmeiras causou a falsa impressão de que havia entrado mais ligado em comparação aos seus últimos jogos antes do clássico. Toques de bolas rápidos, movimentação e chegada pelas laterais ditaram o ritmo da equipe alviverde nos primeiros minutos.

Foi em uma dessas chegadas pelas laterais que o time da casa abriu o placar. Aos 16, após troca de passes entre Bruno Henrique e Mayke, a bola sobrou para Zé Rafael pegar em cheio de frente para meta e mandar sem chances para o goleiro. A bola ainda bateu na trave antes de entrar no gol.

Parecia que a porteira tinha sido aberta. Mas o Palmeiras voltou a apresentar suas falhas do passado. Erros de passes e espaço na marcação fizeram com que o Ceará passasse a “gostar mais do jogo” e sair do campo de defesa.

Foi assim que a equipe de Adilson Batista teve uma enorme oportunidade de empatar aos 37, quando Chico foi derrubado dentro da área por Vitor Hugo e o Ceará teve um pênalti ao seu favor.

Foi aí que brilhou a estrela de Weverton. Bergson bateu no canto direito e o goleiro saltou certeiro para desviar a bola e evitar o gol de empate. “Fico feliz por ter sido decisivo. Foi um pênalti muito difícil e eu tinha visto cobranças do Bergson antes”, contou o goleiro, que brilhou novamente na etapa final.

Felipe tentou de fora da área e Weverton foi buscar quase no ângulo e novamente salvou o time alviverde. Gustavo Gómez ainda acertou uma bola na trave, em cabeceio dado após cobrança de escanteio. E lá foi o Ceará mais uma vez não chegar ao empate graças a noite inspirada de Weverton.

Samuel Xavier aproveitou cruzamento rasteiro na área e encheu o pé. Weverton saltou e evitou um gol certo. Uma defesa impressionante e com uma certa dose de coragem do palmeirense. Aos 49, de novo ele. Leandro Carvalho chutou cruzado e o goleiro novamente fechou o gol. A noite era dele. Sorte do Palmeiras, que fez o dever de casa. (Daniel Batista – Estadão Conteúdo)

Ficha técnica

Palmeiras 1 x 0 Ceará

Palmeiras – Weverton; Mayke (Jean), Gustavo Gómez, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa (Lucas Lima); Zé Rafael, Dudu e Deyverson (Henrique Dourado). Técnico: Mano Menezes

Ceará – Diogo Silva; Cristovam, Valdo, Eduardo Brock e Samuel Xavier; Auremir (Leandro Carvalho), Fabinho (Ricardinho), Pedro Ken, Chico (Thiago Galhardo) e Felipe; Bergson. Técnico: Adilson Batista

Gol – Zé Rafael, aos 16 minutos do primeiro tempo

Cartões amarelos – Vitor Hugo, Cristovam, Eduardo Brock e Weverton

Renda – R$ 1.777.812,70

Público – 29.019 pagantes

Árbitro – Felipe Fernandes de Lima.

Local – Allianz Parque, em São Paulo (SP)

Comentários