Esporte

Dois sorocabanos são convocados pela CBTM

Os olhares atentos miram a bolinha que, a cada raquetada, ganha mais velocidade. A altura não se torna um problema quando, mesmo na ponta dos pés, precisão e técnica são compensadores para meninos que jogam tênis de mesa como gente grande. A qualidade dos sorocabanos Felipe Okano, de 9 anos, e Vinicius Oliveira, de 10, que treinam diariamente na Escola de Tênis de Mesa em Sorocaba (Estemso), levou-os a serem convocados para a Detecção Nacional de Talentos Olímpica 2018, da Confederação Brasileira da modalidade (CBTM), marcada de 27 a 31 de julho em Piracicaba. No período, 25 crianças, de 7 a 11 anos, vão passar por treinamentos com supervisão de técnicos e coordenadores da CBTM.

No caso de Felipe, esta é a segunda convocação. A primeira foi em 2016 — no ano passado, o programa não foi realizado. Para Vinicius, será algo inédito. O fato de terem sido chamados passa muito pelo incentivo do treinador e pai de Felipe, Fabio Okano. “É legal de ver que estão querendo seguir uma carreira e, quem sabe no futuro, possam colher bons frutos”, diz ele, que hoje trabalha como advogado, mas chegou a defender a seleção brasileira de tênis de mesa. Embora o dia a dia dos garotos seja em Sorocaba, eles representam o Jundiaí Clube nas competições.

Leia mais  Líder e invicto, Timão agora quer jogar bom futebol

Quem observa a troca de bola dos pequenos, que têm a mesa quase à altura do peito, percebe facilmente a habilidade. Quase não erram e batem rente à rede para dificultar as defesas. Fabio, portanto, pretende que a detecção de talentos seja apenas um primeiro passo para os meninos. Espera que eles possam chegar a outro projeto, o Diamantes do Futuro. “Esse outro projeto é para crianças entre 12 e 15 anos. É o melhor da confederação, são poucos que conseguem participar. Os escolhidos passam três meses treinando na China, que hoje é a potência do tênis de mesa mundial”, explica o pai-técnico.

Ansiedade 

Embora bastante tímidos, Felipe e Vinicius disseram estar ansiosos para participar logo dos treinamentos em Piracicaba. “Cansa muito, a gente treina o dia todo”, conta o mais novo. A timidez dele é deixada rapidamente de lado com uma pergunta sobre o desejo de se tornar atleta profissional. “Eu quero ser melhor do mundo”, ambiciona, enquanto Vinicius mostra-se satisfeito com “menos”. “Para mim, chegar na seleção brasileira já está bom.”

Leia mais  Pesquisador vê ‘bolha’ como única alternativa para volta do Paulistão

O gosto pelo esporte, obviamente, faz com que os jovens admirem alguns ídolos da modalidade. O primeiro que vem à cabeça de Felipe é o japonês Tomokazu Harimoto, de apenas 14 anos e que, no mundial da modalidade em 2017, fez história ao derrotar o compatriota Jun Mizutani, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio. Já Vinicius tem como um dos ídolos o alemão Timo Boll, o melhor do mundo em 2011.

Os interessados em treinar na Estemso podem entrar em contato com Fabio pelo telefone 15 99755-4521. Os valores variam de acordo com a quantidade de treinamentos por semana.

Comentários