Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Cuca volta a cobrar reforços no Santos

16 de Outubro de 2020

Cuca volta a cobrar reforços no Santos Robinho assistiu na arquibancada da Vila Belmiro ao jogo contra o Atlético-GO. Crédito da foto: Ivan Storti / Santos FC (14/10/2020)

O Santos correu para inscrever Robinho nesta semana porque punições junto à Fifa vetam novos reforços por tempo indeterminado. Mesmo assim, o técnico Cuca voltou a pedir novas contratações após a derrota para o Atlético-GO por 1 a 0, quarta-feira (14), na Vila Belmiro, pelo Brasileirão, quando não pôde contar com Marinho, Lucas Veríssimo e Alison, lesionados, além de Soteldo, na seleção venezuelana. “Precisamos fortalecer o nosso elenco, os campeonatos são duros. A gente sabe que tem um elenco curto”, disse Cuca.

O Santos não pode registrar novos jogadores desde terça, quando passou a vigorar nova punição aplicada pela Fifa devido às dívidas com o Huachipato, do Chile, pela contratação de Soteldo, e o Atlético Nacional, na transação por Felipe Aguilar.

Contratado antes da nova punição, Robinho é o único reforço com o qual Cuca poderá contar. O atacante ainda não tem data para reestrear pelo Santos, mas já é notícia fora de campo. Na quarta, a Orthopride decidiu deixar de patrocinar o clube por causa da sua chegada. Robinho foi condenado na Itália por estupro.

“Ele, pra mim, é uma pessoa maravilhosa, um exemplo de jogador. Sempre foi corretíssimo em todas as atitudes que teve. A gente não tem um momento da carreira dele que deva ser denegrido. Tem o episódio fora do campo, que está sub judice, e a gente tem que aguardar. O que eu puder fazer para ajudar o Robinho em vida eu vou fazer”, declarou o técnico santista.

No duelo contra o Coritiba, amanhã (17), fora de casa, o lateral Pará vai cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Jobson e Soteldo voltam. Recuperando-se de lesão, Marinho preocupa.

Internado

O presidente do Santos, Orlando Rollo, precisou ser levado para um hospital em Santos, após passar mal quando estava a caminho de São Paulo. Exames clínicos constataram um quadro de pressão alta. Ele foi medicado e deverá ficar em repouso durante cinco dias. (Felipe Rosa Mendes - Estadão Conteúdo)