Esporte

Corpo de Mickey será sepultado 56 anos após final histórica no Pacaembu

Ídolo do São Bento faleceu nesta quinta-feira (21) em Sorocaba
Mickey é um dos principais jogadores de futebol da história de Sorocaba. Crédito da foto: Erick Pinheiro (31/8/2009)

O corpo de Mickey será sepultado 56 anos após o histórico acesso do São Bento à elite do futebol paulista. O ex-atleta integrava o elenco que, em 22 de fevereiro de 1963, venceu o terceiro e decisivo jogo diante do América por 2 a 1 no Pacaembu, em São Paulo.

Mickey faleceu nesta quinta-feira (21), aos 93 anos, em Sorocaba. Ele estava internado em uma clínica e sofreu uma parada cardíaca.

O velório terá início nesta quinta-feira (21), às 18h, na Ofebas. O corpo do ex-jogador será sepultado sexta-feira (22), às 11h, no cemitério da Saudade, em Sorocaba.

No dia 22 de fevereiro de 1963, Mickey integrou o elenco do São Bento responsável por levar o clube à elite do futebol paulista. O time era formado ainda pelos goleiros Walter, Ceci e Bassi, pelos zagueiros Julião, Odorico, Luiz, Gibe e Paulinho, pelos volantes Nestor, Salvador e Biter, pelos meias Raimundinho, Cabral, Bazzaninho e Renato, pelos pontas Paraná, Gilson e Afonsinho e pelos atacantes Picolé e Didié.

Naquela noite no Pacaembu, Mickey não jogou o terceiro e decisivo confronto das finais da 1ª Divisão do Campeonato Paulista. Ele viu Nestor abrir o placar para o São Bento aos 16 minutos do segundo tempo. Aos 25’, Dirceu empatou e levou a decisão para a prorrogação. Aos 11 minutos, Paraná recebeu um lançamento de Bazzaninho, entrou na área e tocou para Picolé decretar a vitória do Bentão.

Leia mais  Nova etapa de programa habitacional prevê 248 unidades em Sorocaba

O ex-jogador Ademir de Barros, o Paraná, amigo e ex-companheiro de Mickey no São Bento, lamentou a morte do parceiro. “Perdi um irmão”, lamentou.

Habilidade

Ângelo Rômulo Rêmulo Lava, o Mickey, nasceu em Sorocaba no dia 9 de setembro de 1925. Durante as décadas de 1940 e 60, época na qual não havia transmissões de futebol pela televisão, a habilidade do atleta sorocabano foi eternizada pelo registro oral de quem o viu atuar com a bola nos pés.

Ele defendeu o Clube Atlético Votorantim – o antigo Savoia, considerado o primeiro clube de futebol no Brasil. Também vestiu a camisa do Ituano e fez história no São Bento. No time sorocabano, Mickey também trabalhou como treinador e é considerado o maior atleta da centenária história do clube. (Giuliano Bonamim)

Comentários