Esporte

COI dá autonomia a comitês nacionais para qualificar atletas para Tóquio

Cerca de 57% dos 11 mil atletas já se classificaram
Anúncio foi feito nesta quinta-feira (2), pelo Comitê Olímpico Internacional. Crédito da foto: Mustafa Ozer / AFP

 

O Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou, nesta quinta-feira (2), que os atletas já qualificados para a Olimpíada de Tóquio-2020 precisarão ser escolhidos novamente por seus respectivos comitês nacionais para poderem disputar a competição no próximo ano entre os dias 23 de julho e 8 de agosto.

“Estão mantidas todas as qualificações alcançadas por comitês olímpicos nacionais e atletas individuais”, afirmou Kit McConnell, diretor do COI, em teleconferência. “Qualquer atleta precisa ser selecionado individualmente porque representam seus comitês. Em todos os esportes, os comitês terão o direito de selecionar seus atletas.”

Cerca de 57% dos 11 mil atletas já se classificaram para os Jogos de Tóquio antes dos torneios de qualificação serem descartados por causa da pandemia do coronavírus.

Outro problema do COI é a Vila Olímpica, cujos apartamentos estavam planejados para serem vendidos ainda este ano, antes do adiamento dos Jogos para o ano que vem. “A Vila faz parte da primeira prioridade”, afirmou Christophe Dubi, diretor executivo dos Jogos Olímpicos. “A Vila é a casa longe de casa. Está absolutamente nessa lista de urgências.”

Dubi disse que esses locais prioritários, incluindo as dezenas de instalações esportivas, locais de convenções e milhares de quartos de hotel, precisam ser reconfigurados rapidamente. “Tudo isso deve ser garantido por mais um ano”, disse o dirigente, que previu a resolução dessas “prioridades” em semanas. (Estadão Conteúdo)

Leia mais  Conmebol anuncia faturamento recorde e criação de fundo de R$ 142 milhões
Comentários