Esporte

CBF não vê erro de árbitro em gol do Palmeiras anulado na Copa do Brasil

Reway anulou a jogada após interpretar que o zagueiro Edu Dracena cometeu falta
O ábitro Wagner Reway, do jogo entre as equipes da SE Palmeiras e Cruzeiro EC, durante partida valida pelas semi finais (ida), da Copa do Brasil, na Arena Allianz Parque. Crédito da foto: Fabio Menotti/Ag Palmeiras/Divulgação

 

O coordenador do VAR (árbitro assistente de vídeo) no Brasil, Sérgio Corrêa, afirmou que o árbitro Wagner Reway agiu corretamente no lance que anulou o gol do zagueiro Antônio Carlos, marcado aos 52min do segundo tempo, na derrota do Palmeiras para o Cruzeiro por 1 a 0, na quarta-feira (12), no Allianz Parque, pela partida de ida das semifinais da Copa do Brasil. Reway anulou a jogada após interpretar que o zagueiro Edu Dracena cometeu falta no goleiro Fábio. Na sequência, a bola sobrou para Antônio Carlos que concluiu para o gol.

“A orientação que os árbitros recebem é atuar como se não houvesse o VAR e foi isso que o Wagner Reway fez naquele lance. É uma jogada interpretativa e cabe apenas ao árbitro decidir se foi falta ou não. A interpretação cabe somente ao árbitro”, disse Sérgio Corrêa, que também exerce o cargo de chefe de comissão de arbitragem da CBF. O lance gerou muita reclamação do Palmeiras. De acordo com Alexandre Mattos, diretor de futebol do clube, o árbitro deveria deixar o lance seguir e depois consultar o VAR caso fosse chamado. Ele afirmou que essa orientação partiu do próprio Sérgio Corrêa antes do jogo.

Leia mais  Com semana livre, Corinthians espera recuperar Jadson e Douglas

“O Sérgio Corrêa [da Silva, chefe do departamento de arbitragem da CBF] esteve no meu vestiário antes do jogo. Ele disse para mim e para o Felipão: Alexandre, avise seus jogadores que lance capital é para seguir até o fim, depois vamos ver no VAR o que aconteceu”, relatou o dirigente após a partida. Corrêa, porém, afirmou que essa orientação é apenas para situações de impedimento. ”Eu disse [aos elencos de Palmeiras e Cruzeiro] que, nos casos de impedimentos, os jogadores devem seguir na jogada até ouvir o apito do árbitro, pois se estiver impedido se tem a possibilidade de acerto ou da confirmação do fora de jogo. Em lances de impedimento o assistente adia a bandeira. Se sai o gol, a checagem ocorrerá. Se não houver impedimento, gol confirmado. Se houver impedimento, anula. Portanto, os jogadores não devem parar se o assistente levantar, mas apenas quando o árbitro apitar”, explicou.

Leia mais  Fórmula 1: R$ 43 milhões são liberados para obras em Interlagos

O árbitro de vídeo em competições organizadas pela CBF estreou nas quartas de final da Copa do Brasil. Com a derrota por 1 a 0, o Palmeiras precisará vencer por dois gols de diferença no Mineirão, no dia 26, para avançar à final da Copa do Brasil. Se ganhar por um gol de vantagem, a vaga será decidida nos pênaltis. (Luiz Cosenzo/ Folhapress)

Comentários

Sobre o Autor

Online