Esporte

Casares traça 50 metas para nova gestão no São Paulo

Para reduzir as despesas, o presidente organizou um comitê financeiro de trabalho para atuar na renegociação com credores
Casares traça 50 metas para nova gestão no São Paulo
Julio Casares é o novo presidente do Tricolor. Crédito da foto: Rubens Chiri / SAOPAULOFC.NET

 

O novo presidente do São Paulo, Julio Casares, concedeu ontem a primeira entrevista coletiva após assumir o cargo e prometeu aplicar mudanças significativas durante a gestão, que vai durar três anos.

Casares apresentou um plano de 50 metas para serem aplicadas nos cem primeiros dias de gestão. As propostas contemplam desde a organização de setores de gestão e planos de redução de despesas, até ações voltadas para criar camarotes para ex-jogadores e setores populares no Morumbi, além da definição de critérios para saídas e vendas de jogadores.

Para reduzir as despesas, o presidente organizou um comitê financeiro de trabalho para atuar na renegociação com credores. “A nossa dívida eu chamo de compromisso.

Está ao redor de R$ 570 a R$ 580 milhões”, contou Casares. Por causa dessa pendência, o dirigente ressaltou ser necessário ter cuidado para definir quem será o novo diretor executivo de futebol a partir de fevereiro, quando Raí deixará o cargo. Casares disse ter conversado com Rodrigo Caetano, ex-Internacional.

O clube também vai atrás de um executivo para comandar as categorias de base. O novo presidente quer aumentar a integração com o profissional. “Quando a comissão técnica identificar necessidade da posição, terá que ser uma prática buscar esse valor dentro da nossa formação. Se não for possível, aí vamos ao mercado, mas de maneira diferente”, disse.

Leia mais  Thiago Monteiro estreia com vitória nos EUA

O novo presidente já nomeou diretores para algumas áreas. A principal novidade foi o retorno do ex-técnico Muricy Ramalho, agora empossado como coordenador de futebol. O papel dele será atuar na ligação entre a comissão técnica e o elenco com a diretoria.

Casares não promete quitar as dívidas até o fim da gestão, mas pretende deixar a situação bem melhor do que a atual. “Eu espero ser avaliado depois de três anos como uma pessoa que equilibrou as finanças e diminuiu as dívidas”, disse.

Outra novidade trazida pelo presidente do São Paulo diz respeito ao time feminino, que passará a treinar no CT de Cotia e não mais no setor social do clube.

Lugano

Ídolo da torcida do São Paulo, Diego Lugano foi um dos profissionais a deixar a diretoria com a mudança na presidência e a posse de Julio Casares, na última sexta-feira. E o até então diretor de relações institucionais se pronunciou, ontem, nas redes sociais.

Leia mais  Com lesão na virilha, Gómez inicia tratamento no Palmeiras para jogar final

Mesmo afastado do dia-a-dia do São Paulo, Lugano destacou, em seu texto, que a associação com o clube não se apaga. “As relações humanas, mesmo as mais distantes, podem eternizar-se. O carinho e o respeito que dou e recebo dos são-paulinos certamente são para sempre”, concluiu. (Ciro Campo – Estadão Conteúdo)

 

Comentários