Esporte

Bottas vence GP do Japão e Mercedes fatura 6º título de Construtores

Valteri Bottas se beneficiou de falhas dos dois pilotos da Ferrari para ganhar em Suzuka
Pódio do GP do Japão
O finlandês Valteri Bottas, da Mercedes, comemora após vencer o Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1. Crédito da foto: Alex Farias/Photopress/Estadão Conteúdo

Havia uma forte tendência para um bom fim de semana da Ferrari no GP do Japão de Fórmula 1, na madrugada deste domingo (13), com uma dobradinha na largada, mas no fim Valteri Bottas e a Mercedes acabaram estourando a champanhe no fim da prova em Suzuka.

Aproveitando-se de falhas de Sebastian Vettel e Charles Leclerc, o finlandês levou a melhor na disputa e ajudou a dar o sexto título consecutivo de Construtores à escuderia alemã.

Leia mais  Fórmula 1: Tufão Hagibis afeta programação do GP do Japão

 

O alemão da Ferrari chegou em segundo lugar, após escapar de uma punição por ter queimado a largada. Num movimento frustrado, que acabou lhe atrapalhando na saída, o tetracampeão teve sua manobra na saída considerada dentro do limite do aceitável pela direção da prova.

No fim da corrida, precisou conter as investidas do inglês Lewis Hamilton, também da Mercedes, que chegou em terceiro e continua caminhando célere para a conquista de seu sexto título mundial.

Na parte final da prova, a Mercedes ainda acabou atrapalhando a corrida de Hamilton ao solicitar que ele fizesse uma segunda parada quando liderava a disputa, mesmo com pneus médios em boas condições para encerrar bem a prova. Com isso, o atual campeão mundial perdeu a ponta para Bottas, que já havia feito seus dois pit stops.

“Começar em terceiro não foi fácil. Tive uma largada muito boa, consegui o primeiro lugar e logo o ritmo foi super bom, pude controlar a corrida”, comentou Bottas ao final do evento, aproveitando para saudar o feito de sua escuderia: “Estou realmente muito orgulhoso em ser parte desse time. Um sexto título é realmente impressionante”, concluiu ele. Com 612 pontos, a Mercedes não pode ser mais alcançada pela segunda colocada, a Ferrari, que tem 433 no Mundial de Construtores.

Mesmo com o triunfo do companheiro de equipe, Hamilton tem ainda 64 pontos de vantagem na classificação para o próprio Bottas e precisa, a quatro provas do fim do campeonato, de algo como uma vitória e uma volta mais rápida com o finlandês chegando em quarto para garantir a taça.

No mais, a corrida japonesa, que teve de superar um fim de semana que começou com cancelamento do treino classificatório no sábado, devido à passagem de um tufão pelo país, foi marcada por boas surpresas. Com seu melhor resultado na carreira, Alexander Albon, da Red Bull, chegou em quarto, seguido pelo não menos surpreendente Carlos Sainz Jr. e sua McLaren.

Após se envolver em um acidente que acabou tirando Max Verstappen (Red Bull) da prova, Charles Leclerc, que largou em segundo, mas terminou em sexto, foi penalizado em 15 segundos e caiu para o sétimo posto, cedendo sua vaga para Daniel Ricciardo (Renault).

Também pontuaram Pierre Gasly (Toro Rosso), Sergio Pérez (Racing Point) e Nico Hülkenberg (Renault), completando os dez primeiros lugares da corrida em Suzuka. O mexicano e o francês se tocaram na última volta, com Pérez abandonando a corrida, mas este terminou sendo beneficiado com uma falha na marcação da prova, que registrou a bandeira quadriculada com uma volta ainda para ser cumprida.

A próxima etapa das 21 previstas no Mundial de Fórmula 1 está prevista para o fim de semana do dia 27 de outubro, no GP do México. (Estadão Conteúdo)

Classificação final do GP do Japão

1º – Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), em 1h21min46s755
2º – Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 13s343
3º – Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 13s858
4º – Alexander Albon (TAI/Toro Rosso), a 59s537
5º – Carlos Sainz (ESP/McLaren), a 69s101
6º – Daniel Ricciardo (AUS/Renault), a 1 volta
7º – Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 1 volta
8º – Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso), a 1 volta
9º – Sergio Pérez (MEX/Racing Point), 1 volta
10º – Nico Hülkenberg (ALE/Renault), a 1 volta
11º – Lance Stroll (CAN/Racing Point), a 1 volta
12º – Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso), a 1 volta
13º – Lando Norris (ING/McLaren), a 1 volta
14º – Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a 1 volta
15º – Romain Grosjean (FRA/Haas), a 1 volta
16º – Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a 1 volta
17º – Kevin Magnussen (DIN/Haas), a 2 voltas
18º – George Russell (ING/Williams), a 2 voltas
19º – Robert Kubica (POL/Williams), a 2 voltas

Não completou a prova:
Max Verstappen (HOL/Red Bull)

Comentários