Esporte

Avião irá buscar Gómez e Weverton

Avião irá buscar Gómez e Weverton
Goleiro do Palmeiras defende a seleção no Uruguai e, logo após, viaja para jogo no Ceará. Crédito da foto: Lucas Figueiredo / CBF

O Palmeiras acionou a patrocinadora do clube, a Crefisa, para conseguir contar amanhã (18) com a presença de jogadores do elenco cedidos para compromissos internacionais com as seleções pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Leila Pereira emprestará o jato particular e cuidará de todos os custos para buscar o goleiro Weverton no Uruguai e depois Gómez no Paraguai para levá-los diretamente até Fortaleza, para o jogo contra o Ceará, pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Ao Estadão, Leila explicou que vai ceder a aeronave a pedido da diretoria do clube. Weverton estará hoje no jogo entre Brasil e Uruguai, em Montevidéu. Já o zagueiro Gómez entra em campo pela seleção paraguaia em Assunção, diante da Bolívia. Se tivessem de voltar ao Brasil por voos comerciais, não conseguiriam chegar a tempo a Fortaleza por perderem muitas horas de espera em conexões. “Dentro do avião vai o fisioterapeuta e também uma pessoa responsável pela alimentação dos atletas”, falou Leila.

Leia mais  Campeonato Brasileiro tem duelo entre São Paulo e Vasco no Morumbi

A previsão é de chegar à capital cearense às 7h, exatamente 12 horas antes da partida. O avião da empresária é um Falcon 8X, da fabricante francesa Dassault. A empresária não revelou os custos da operação, mas vai se encarregar de tudo. “É um avião muito confortável. É o melhor avião executivo do mundo, grande e confortável. Os jogadores podem fazer a regeneração deles dentro do próprio avião”, explicou Leila. Titular e capitão do Paraguai, Gómez possivelmente começará o jogo contra o Ceará.

Por ser goleiro, Weverton tem mais chance de iniciar a partida no Castelão. “Vou disponibilizar o jogador para a comissão técnica, mas quem escolhe se joga ou não é o treinador”, disse. No jogo de ida, o Palmeiras bateu o adversário por 3 a 0.

A presença dos jogadores se faz importante também para compensar a grande quantidade de desfalques do time. Entre jogados lesionados e outros contaminados com o novo coronavírus, o Palmeiras tem mais de dez baixas. “A gente não proporciona só o patrocínio, mas uma parceria. Que patrocinadora faz isso? Tudo isso é muito custo. Mas eu enxergo que preciso ajudar o clube principalmente nesses momentos tão desafiadores”, explicou Leila. (Ciro Campos – Estadão Conteúdo)

Comentários