Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Andrés diz que Corinthians está 'bem perto' de vender 'naming rights' da arena

23 de Agosto de 2020

Sanchez promete quitar as dívidas do Corinthians Andrés Sanchez, presidente do Corinthians. Crédito da foto: Danilo Fernandes / Framephoto / Estadão Conteúdo

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, afirmou neste domingo que o clube está "bem perto" de acertar a venda dos "naming rights" da Arena Corinthians. O estádio está localizado na zona leste de São Paulo. Da mesma forma, o dirigente também assegurou que a empresa com a qual o clube vai fechar o acordo nunca estampou a sua marca na camisa do time.

Bem perto

"Estamos bem perto. Já já vem, mas nunca esteve na camisa do Timão", escreveu Andrés em seu perfil oficial no Twitter. Ele voltou a usar a rede social recentemente depois de inatividade por um longo período. Sobre o tema, o presidente do Corinthians promete fechar a venda dos "naming rights" do estádio em Itaquera há muito tempo. Inclusive, promessa vem antes mesmo da inauguração da arena, em 2014.

O clube paulista, como se sabe, trabalha pela venda do nome de sua arena há seis anos. Igualmente, essa também é uma meta antiga do dirigente. Sanchez é frequentemente criticado pela demora em selar o acordo. Já houve negociações com empresas do exterior e também brasileiras. Entretanto, nenhuma foi concluída. Em 2018, Andrés chegou a dizer que havia seis interessados.

R$ 400 milhões

O tema voltou à tona na última semana depois que o apresentador da Band e ex-jogador Neto tratou do assunto. Ele cravou que o Corinthians havia negociado o direito de exploração do nome da arena. Neto, inclusive, até falou em valor: R$ 400 milhões. Por outro lado, Andrés prontamente negou a informação. Porém, disse que "o clube continua conversando com diversos interessados. Ainda assim, Sanchez também disse que espera ter, "em breve, excelentes notícias para toda a torcida e os sócios". Entretanto, não há informações sobre por quanto tempo será válido o contrato.

A venda pode ser fundamental para amenizar a grave crise financeira do clube. O time renegocia com a Caixa Econômica Federal a dívida de R$ 536 milhões. O valor é referente ao financiamento do estádio