Esporte São Bento

A1 tem ‘decisão’ a cada rodada

Experiente, o zagueiro Douglas Assis alerta para os desafios peculiares do campeonato da elite paulista
Peça importante na campanha do acesso, Douglas teve dificuldades no Brasileiro. Crédito da foto: Neto Bonvino / Bento TV

Douglas Assis é um dos zagueiros que atuaram pelo São Bento em 2020 e permaneceram no elenco para a disputa do Paulistão de 2021. Aos 35 anos, o jogador foi uma das peças importantes na conquista do acesso à elite estadual, no ano passado. Experiente, ele sabe que a qualidade do jogo no torneio é bem mais alta do que na A2.

“Creio que a diferença seja no nível. A A1 é bem mais complicada, o nível é bem alto, não tem jogo fácil. Já começamos aqui com o Mirassol, um time que acabou de ter um acesso. Temos que trabalhar para começar bem”, apontou.

Apesar de ter sido um dos principais jogadores na campanha para a conquista do acesso à elite paulista, na Série C do Campeonato Brasileiro, Douglas não conseguiu repetir as atuações que teve na Série A2 do estadual. Até por conta disso, no retorno para a pré-temporada, ele não aparece na zaga titular.

Leia mais  O que o São Paulo precisa para ser campeão? Confira!

No momento, a dupla de zaga escolhida pelo técnico Edson Vieira é Dirceu e Marcão, recém-contratados. Com a resiliência de quem quase abandonou o futebol por conta de lesões e muitas trocas de times, o veterano defensor não se abate com a reserva.

“Particularmente, eu creio que não terminei o ano muito bem. Então, é trabalhar, procurar dar o meu melhor e, quem sabe, ganhar o espaço novamente. Independente de qualquer coisa é dar o máximo para ajudar o grupo”, afirmou.

Douglas Assis já rodou por diversos clubes, principalmente no futebol carioca. Já vestiu a camisa do São Bento também em outra oportunidade, em 2018. Passados os 30 anos, a estabilidade em um time é uma das prioridades.

Com contrato até o final do Paulistão, o zagueiro não descarta negociar com a direção para permanecer o restante da temporada e disputar a Série D do Campeonato Brasileiro. Idade e a identificação com o Azulão pesam no momento.

Leia mais  Palmeiras encara o já rebaixado Coritiba

“Quando se chega em uma certa idade, não podemos pensar em rodar muito. O São Bento é um clube que tenho um carinho enorme, que me acolheu. E se eu puder permanecer para ajudar a voltar à Série C, Série B, vou procurar fazer”, finalizou. (Zeca Cardoso)

 

Comentários