Economia

Petrobras anuncia maior reajuste nos combustíveis do ano

Petrobras anuncia maior reajuste nos combustíveis do ano
Crédito da foto: Divulgação / Petrobras

A Petrobras estabeleceu ontem o maior reajuste de preços de combustíveis do ano. O óleo diesel vai ficar 15,2% mais caro em suas refinarias a partir de hoje e a gasolina, 10,2%. Com mais esse reajuste, o quarto do ano, o diesel e a gasolina já acumulam alta de 27,5% e 34,8%, respectivamente, em 2021. Tamanho avanço de preço vai atingir o consumidor nesta semana e deve aparecer nos indicadores de inflação de março, segundo analistas.

Os preços da Petrobras estão alinhados aos do mercado internacional. Ou seja, quando a cotação do petróleo sobe no mercado internacional, a estatal revisa seus valores também no Brasil. O petróleo é a matéria-prima dos combustíveis e, por isso, costuma ser usado como referência na formação dos preços dos seus derivados, como gasolina e diesel.

Neste mês, o petróleo ganhou força por conta do frio nos Estados Unidos, onde o consumo avançou e os estoques baixaram em quase 6 milhões de barris. Além disso, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) tem indicado cortes de produção. Com a expectativa de que haja mais demanda que oferta de óleo no mundo, o produto está ficando mais caro.

Leia mais  PL prevê parceria de empresas com Correios

Em Londres, o barril do petróleo do tipo Brent fechou o pregão a US$ 64,34, patamar que não era alcançado desde janeiro do ano passado, antes da pandemia de coronavírus.

Ao anunciar mais um reajuste, a Petrobras reafirma sua política de preços, alinhada ao mercado internacional, e derruba a tese de que atua para atender aos interesses do governo. A empresa estava sendo acusada de segurar a alta do diesel, principalmente, para favorecer os caminhoneiros, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, e para conter a inflação. Os caminhoneiros chegaram a ameaçar uma greve caso o combustível continuasse subindo na bomba.

O economista-chefe da Ativa Investimentos, Étore Sanchez, acredita que “tal magnitude de reajuste na refinaria deve afetar as bombas apenas no terceiro decêndio de fevereiro, com grande parte do impacto no IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de março”. A Armor Capital projeta alta de 0,15 ponto porcentual na inflação do mês que vem.

Até então, os consumidores não estavam sentindo tanto os reajustes nas refinarias porque os donos de postos estavam conseguindo segurar ao menos parte dos reajustes da Petrobras. No ano, a gasolina subiu na revenda 7,0% e o diesel, 4,3%, segundo a StoneX. As revisões são bem inferiores às da estatal.

Leia mais  Biden e Trudeau querem reconstruir laços EUA-Canadá em reunião virtual

Até chegarem à bomba, a gasolina e o diesel produzidos pela estatal passam ainda por distribuidores e revendedores. No meio do caminho, são acrescidos tributos aos seus preços. Portanto, cada elo dessa cadeia tem o próprio peso na formação dos valores cobrados nos postos. (Estadão Conteúdo)

Comentários