Economia

Perspectiva de emprego em Sorocaba melhora em 2019

Indústrias, redes de supermercado e fast-food contratam na cidade neste início de ano
A procura pelas agências de emprego é tipicamente maior no início do ano. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

A procura pelas agências de emprego é tipicamente maior no início do ano e, de acordo com especialistas do setor, 2019 começa com o mercado aquecido em Sorocaba e boas oportunidades. Porém, é preciso se destacar em um cenário que ainda tem muitos desempregados. Estratégia ao buscar as vagas, qualificação e investir nos meios digitais são as recomendações.

“Janeiro e fevereiro são os meses em que a procura aumenta, porque as pessoas inovam. As que estão trabalhando buscam uma melhor colocação e as que estão desempregadas buscam emprego”, diz a gerente de Recursos Humanos do Grupo Panna, Marcele Ribeiro. Ela conta que a empresa tem intermediado em torno de 200 contratações por mês, número cerca de 20% maior em relação ao ano passado.

“O mercado está bem aquecido, mas também exigente porque sabe que tem muita gente parada”, afirma Marcele. A agência recebe uma média de 1 mil currículos por dia, incluindo os envios físicos e por e-mail. De acordo com a gerente de RH, a expectativa para 2019 é otimista também com os novos rumos do País. “Estamos muito confiantes em relação ao novo governo”, diz.

Marcele, gerente de RH: mercado de trabalho está aquecido. Foto: Emídio Marques

De acordo com Marcele, a área industrial está contratando, mas há também vagas estratégicas em diversos setores — sendo que essas demandam especializações como MBA e conhecimento em línguas estrangeiras. As redes de supermercado e fast-food que recentemente chegaram à cidade também têm boas oportunidades, especialmente para quem está à procura do primeiro emprego. A dica é se inscrever diretamente nos sites dessas redes.

Para a recolocação no mercado de trabalho é essencial ter um currículo atualizado, com as informações mais recentes nas plataformas digitais de emprego e nos sites das empresas. Cursos e atualizações também fazem a diferença.

Marcele Ribeiro orienta para uma visão estratégica da busca de vagas. Mapear as empresas de interesse e entrar em contato direto com o responsável pela vaga seria um caminho mais eficiente. Ela explica que usualmente quando as oportunidades aparecem o responsável inicialmente questiona profissionais do meio antes de abrir a vaga para o mercado.

Outra dica é que o currículo seja remodelado para o perfil de cada vaga, sempre com informações verdadeiras, mas dando enfoque aos conhecimentos que possam se destacar para aquele posto de trabalho. “Analisar o perfil da vaga e montar o currículo dentro do requisito daquela vaga”, explica a gerente. Ela orienta os candidatos a darem atenção especial aos meios digitais como e-mail, sites das empresas e perfis em sites de emprego.

Bruna Guarnieri teve ajuda da irmã para fazer o currículo. Foto: Emídio Marques

Primeiro emprego

O desejo de conseguir o primeiro emprego é que motiva Bruna Caroline de Oliveira Guarnieri, de 17 anos, a distribuir currículos neste início de ano. Ela conta que tem interesse em fazer faculdade e enquanto isso pretende trabalhar na área que tiver vagas disponíveis. “Eu quero cursar fisioterapia”, diz. Bruna contou com a ajuda da irmã para fazer o currículo.

Thalita Vieira Campos, 17, está sem emprego fixo há seis meses e nesse tempo tem feito alguns bicos. Ela atuava no comércio, na área de vendas, atendimento e auxiliar geral. A amiga Gabrielly Orbele Shcurr, 18, que trabalhava na área administrativa, procura por trabalho há dois meses. “Espero que esse ano melhore, porque o ano passado foi complicado em relação ao emprego”, avalia Gabrielly.

Comentários