Economia

Ministério da Economia autoriza Caixa a reajustar preços de jogos de loteria

Aposta simples da Mega-Sena vai dos atuais R$ 3,50 para R$ 4,50 -- aumento autorizado de cerca de 28%
As apostas da Mega-Sena podem ser feitas até as 19h, em qualquer casa lotérica. Crédito da foto: Emídio Marques (8/5/2019)

O Ministério da Economia autorizou a Caixa Econômica Federal a reajustar os preços das apostas de jogos de loteria. A Portaria da Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria está publicada na edição desta quinta-feira (31) do Diário Oficial da União (DOU).

O reajuste nos preços poderá ser feito a partir de 1º de janeiro de 2020, em data a ser definida pela Caixa Econômica Federal, nas modalidades lotéricas que o banco administra.

Leia mais  Prêmio principal da Lotofácil sai de novo para Sorocaba

 

Os porcentuais de reajuste autorizados variam de acordo com a aposta. A aposta simples da Mega-Sena passará a custar R$ 4,50 (atualmente ela custa R$ 3,50), um aumento autorizado de cerca de 28%.

A aposta mínima da Quina passará dos atuais R$ 1,50 para R$ 2,00, alta de 25%. A Dupla-Sena subirá de R$ 2,00 para R$ 2,50, alta também de 25%.

A aposta simples da Lotofácil passará de R$ 2,00 para R$ 2,50; a Lotomania terá aposta única de R$ 2,50.

As apostas de prognósticos esportivos também terão reajuste. A aposta simples da Loteca passa a custar R$ 1,50 e a aposta múltipla mínima obrigatória, que compreende prognóstico duplo, R$ 3,00.

A Lotogol terá aposta mínima de R$ 1,50. A aposta considerada de prognóstico específico, a Timemania terá aposta única de R$ 3,00.

Em razão dos novos preços, a Caixa deverá ajustar os preços também dos valores de premiação fixa das modalidades lotéricas Lotofácil e Timemania.

Portaria

A Portaria diz ainda que o ajuste de preço deverá entrar em vigor em domingo, feriado nacional ou data em que não haja realização de sorteio.

Além disso, a cobrança do novo preço de aposta, bilhete ou produto lotérico somente poderá começar a ser realizada após a divulgação ostensiva do novo valor para o público em geral com antecedência mínima de três dias úteis da data de início do reajuste.

O reajuste dos preços das loterias era uma reivindicação da Caixa. No dia 1º de outubro, em audiência pública na Câmara, o presidente do banco, Pedro Guimarães, chegou a dizer que o Ministério da Economia havia negado o pedido de ajuste.

O preço das loterias da Caixa é um componente importante do cálculo da inflação medida pelo IPCA. (Sandra Manfrini – Estadão Conteúdo)

Comentários