Economia

Itapemirim contrata 600 para empresa aérea

Itapemirim contrata 600 para empresa aérea
Nos anos 90, empresa investiu no transporte aéreo de carga. Crédito da foto: Divulgação

Apesar de o setor aéreo estar em crise por causa dos efeitos da pandemia de Covid-19, o grupo Itapemirim, de transporte rodoviário, vai iniciar um processo de recrutamento para sua nova companhia de aviação. No total, 600 profissionais serão contratados para diversos cargos, como pilotos, copilotos e comissários de bordo. O objetivo da empresa é começar a voar em março de 2021.

Para cada aeronave, serão necessários 67 funcionários, tanto de tripulação quanto de operação em solo, diz o presidente da Itapemirim, Rodrigo Vilaça. Segundo ele, até o fim do ano a empresa receberá três aviões Airbus A320 de um total de dez previstos para a primeira fase. O primeiro chega ainda neste mês. Se tudo correr como o planejado, ao fim de três anos, serão 56 aeronaves. A empresa, que se chamará Ita Transportes Aéreos, foi anunciada em fevereiro pelo sócio do grupo, Sidnei Piva.

Inicialmente, falava-se que um fundo dos Emirados Árabes Unidos financiaria o projeto, o que não se confirmou. Vilaça afirma que hoje o grupo — que está em recuperação judicial — conversa com dois outros fundos, mas que ainda não fechou nenhum acordo.

Por enquanto, a nova empresa, presidida por Tiago Senna, está sendo financiada com capital próprio. Quase 50 pessoas estão trabalhando para colocar o projeto de pé, diz Vilaça, destacando que a criação da companhia aérea está prevista no processo de recuperação. “Já temos isso autorizado pelo gestor jurídico do plano, que foi aprovado pelos credores e está sendo cumprido.” (Estadão Conteúdo)

Comentários