fbpx
Economia

Indicadores do mercado de trabalho da FGV apresentam piora em março

O Indicador Antecedente de Emprego recuou para 93,5 pontos e o Indicador Coincidente de Desemprego alcançou 94,1 pontos
Indicadores do mercado de trabalho apresentaram piora em março. Crédito da foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Os dois indicadores da Fundação Getulio Vargas (FGV) que buscam analisar o mercado de trabalho apresentaram piora na passagem de fevereiro para março. O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp) da FGV recuou 5,8 pontos, para 93,5 pontos em uma escala de zero a 200 pontos, o menor patamar desde outubro de 2018.

O Iaemp busca antecipar tendências do mercado de trabalho é calculado com base em entrevistas com empresários da indústria e dos serviços e com consumidores. Segundo o economista da FGV Rodolpho Tobler, o resultado mostra que os empresários estão mais cautelosos após um período de aumento do otimismo.

Leia mais  Taxa de desemprego fica em 12,4% no trimestre até fevereiro, revela IBGE

 

O Indicador Coincidente de Desemprego (ICD), calculado com base na opinião dos consumidores sobre o mercado de trabalho atual, piorou 2 pontos em março. O indicador subiu para 94,1 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos em que quanto maior a pontuação pior é a avaliação. Para Tobler, o ICD, em patamar elevado, retrata a situação difícil do mercado de trabalho. (Vitor Abdala – Agência Brasil) 

Comentários