fbpx
Economia

Inadimplência cai 7,7% em Sorocaba, segundo o SCPC

Índice baseia-se em novos registros de dívidas vencidas e não pagas entre fevereiro/2018 e fevereiro/2019
Inadimplência cai 7,7% em Sorocaba segundo o SCPC
A queda do endividamento na cidade foi maior que a registrada na Região Administrativa de Sorocaba. Crédito da foto: Marcos Santos / Arquivo USP Imagens

O Indicador de Registros de Inadimplentes, medido pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), caiu 7,7% em Sorocaba na comparação entre fevereiro deste ano e de 2018. O índice é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas. Na comparação mensal, de fevereiro contra o mês anterior, a queda foi de 1,6% e no resultado acumulado, a inadimplência diminuiu 3,2%.

Leia mais  Aumenta o número de famílias brasileiras com dívidas no país

 

A queda do endividamento na cidade foi maior que a registrada na Região Administrativa de Sorocaba (formada por Indaiatuba, Itu, Sorocaba, Boituva, Cerquilho, Tatuí, Ibiúna, Mairinque, Salto, São Roque e Votorantim), no Estado de São Paulo e no Brasil.

Já o indicador de recuperação de crédito caiu 2,7% na comparação mensal de fevereiro contra o mês anterior. Porém, no valor acumulado, a recuperação cresceu 0,7%, enquanto na variação interanual o indicador elevou 3,0%. Esse indicador é elaborado a partir das exclusões de registros, ou seja pagamentos de dívidas, informadas à Boa Vista pelas empresas credoras.

A Boa Vista não afere um número total de inadimplentes — uma vez que há outras empresas que formam cadastros de negativados — porém mantém uma base de dados, para comparação, que forma o índice e que aponta uma tendência.

Dados positivos

O economista da Boa Vista, Vitor França, explica que os dados de Sorocaba são positivos, uma vez que a queda de inadimplência mostra que há menos consumidores que estão incapazes de pagar suas contas, e a recuperação de crédito aponta para o aumento de pessoas em busca de regularizar a situação de crédito. “Quando a gente olha esses dois indicadores em conjunto, temos menos gente entrando na inadimplência e mais gente conseguindo pagar suas dívidas. Então isso é um bom indicador de que a saúde financeira dos consumidores de Sorocaba está melhorando bastante”, afirma.

Ele avalia que, além de uma melhora da economia, o comportamento dos consumidores, que estão evitando gastos desnecessários e endividamento excessivo contribuem para os resultados. “A ligeira retomada da economia é relevante, mas parece bem relevante também esse comportamento mais cauteloso das famílias”, afirma. Os maiores vilões orçamentários das famílias seriam o desemprego, queda de renda, gastos surpresa e descontrole financeiro. Vitor faz um alerta especial às compras no cartão de crédito, aconselhando cautela no parcelamento.

Sobre os resultados locais, mais favoráveis que os observados em nível regional, estadual e nacional, o economista observa que a inadimplência está muito associada à conjuntura econômica, e que isso poderia indicar um desempenho melhor da economia do município.

Comércio

A tendência de queda também é apontada por dados divulgados pela Associação Comercial de Sorocaba (Acso) no início do mês. Com uma queda de 2,40%, a quantidade de registros de inadimplência diminuiu de 133.982 para 130.766 em março. Em comparação com o ano passado, houve redução de 13,67%. Em relação ao número de pessoas com o CPF negativado, caiu de 74.997 para 73.765, diferença de 1,64%. Já o valor total da dívida, no mês de março fechou em R$ 74.858.053,27, queda de 1,83%.

“Esses dados são o reflexo do Carnaval, em que há um movimento maior nas compras, principalmente no setor de vestuário, calçados e alimentos. Um grande sinal de que as pessoas estão de certa forma mais conscientes, comprando de acordo com o que podem pagar e quitando suas dívidas”, avalia Sérgio Reze, presidente da Associação Comercial. (Priscila Fernandes)

Comentários