Economia

Facebook escolhe Brasil para estrear pagamentos pelo WhatsApp

Serviço será prestado em parceria com players locais como Banco do Brasil, Cielo, Nubank e o Sicredi
Justiça trabalhista admite como prova conversas por WhatsApp
O Facebook escolheu o Brasil para entrar na disputa pelo mercado de meios de pagamentos por meio do Whatsapp. Crédito da foto: Pxhere

O Facebook escolheu o Brasil para entrar na disputa pelo mercado de meios de pagamentos por meio do Whatsapp, aplicativo de conversas. O serviço será prestado em parceria com players locais como Banco do Brasil, Cielo, Nubank e o Sicredi.

O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (15) pelo executivo-chefe do Facebook, Mark Zuckerberg, em seu perfil nas redes sociais. “Hoje nós estamos começando a lançar pagamentos para pessoas que utilizam o WhatsApp no Brasil. Estamos facilitando o envio e o recebimento de dinheiro como o compartilhamento de fotos”, informou.

Crédito da foto: Divulgação / Whatsapp

Segundo ele, o serviço também estará disponível para pequenas empresas, que poderão fazer vendas diretamente pelo WhatsApp.

Para isso, conforme, Zuckerberg, a marca está criando o Facebook Pay, que vai permitir que usuários façam pagamentos por meio de aplicativos.

“O Brasil é o primeiro país em que estamos lançando amplamente pagamentos no WhatsApp. Mais novidades em breve”, disse Zuckerberg.

Cartão de crédito e débito

A Cielo e o Facebook anunciaram uma parceria para viabilizar transações de pagamento por WhatsApp no país. Em comunicado ao mercado, a empresa informa que a versão mais recente do aplicativo apresentará gradativamente a opção “pagamentos” no menu, permitindo a realização de pagamentos e o acompanhamento do histórico de transações.

Segundo o Cielo, o interessado em realizar pagamentos para outras pessoas ou para empresas precisará cadastrar e validar seu cartão de débito ou múltiplo no WhatsApp.

Já os comerciantes interessados em realizar vendas precisarão se credenciar à Cielo por meio da plataforma do WhatsApp.

O pagamento de pessoa para pessoa funcionará na modalidade débito, enquanto que o pagamento de pessoa para empresas ou empreendedores funcionará nas modalidades débito e crédito.

Nas transações de débito, o comerciante receberá o valor da venda em um dia e nas transações de crédito em dois dias. (Estadão Conteúdo)

Comentários