Economia

Comércio está otimista com vendas de peixes na Páscoa 2019

Com o preço do bacalhau mais alto, outros tipos de pescados viram opção
Comércio está otimista com vendas de peixes
Tereza Henna comercializa bacalhau com preço de R$ 55 a R$ 85 o quilo, dependendo do tipo – Foto: Emidio Marques

Apesar do aumento de 21,83% no preço do bacalhau, que é um dos produtos mais procurados pelos consumidores na Semana Santa, os comerciantes estão otimistas e esperam um crescimento nas vendas do produto em torno de 5,13% na Páscoa 2019 em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a Associação Paulista de Supermercados (Apas), o bacalhau ficou com o preço mais salgado este ano por conta da alta do dólar, além da demanda crescente do produto nesta época.

Mas, para quem não quer gastar muito com o bacalhau, a alternativa para os consumidores são os peixes de água doce como tilápia, pintado, tambaqui e truta, entre outros, que estão mais caros, porém, com 2,79% de aumento. Os donos de peixarias de Sorocaba também estão otimistas com as vendas de peixes para a Semana Santa e esperam um aumento de 30% em relação ao ano passado. De acordo com os comerciantes, no ano passado a data caiu no fim de março, o que prejudicou as vendas, já que muitos consumidores chegam ao fim do mês com menos dinheiro no bolso.

Leia mais  Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda termina neste mês

 

Comércio está otimista com vendas de peixes
Há uma procura por outros pescados – Foto: Emidio Marques

De acordo com uma pesquisa da Apas, o país é um dos principais consumidores de bacalhau no mundo e a Noruega, que é grande produtora do peixe, tem no Brasil seu principal parceiro comercial, sendo que 25% da produção de lá vem para cá. “É por isso que há grande aumento de preço: o produto é importado de países europeus, o que o encarece, sobretudo com o dólar em patamares altos”, aponta a pesquisa.

Tradição na venda do bacalhau

Em Sorocaba, o Mercado Municipal é um dos principais pontos onde a procura pelo bacalhau aumenta nesta época do ano. A proprietária de uma das lojas, Tereza Henna, afirma que o preço do quilo do bacalhau está praticamente igual ao do ano passado, mas que o valor varia de acordo com o tipo. “Tenho bacalhau a partir de R$ 55 o quilo e até de R$ 85 o quilo. Mas o preço está praticamente o mesmo do ano passado porque o dólar está estável”, aponta. Ela também estima que as vendas do produto este ano sejam maiores do que no ano passado.

Para quem não dispensa o bacalhau na Semana Santa o jeito é pesquisar preços e fazer uma receita com bastante legumes, assim dá para comprar o produto em menor quantidade. É a estratégia que pretende usar Ivone Covos Martins, 53 anos, que não dispensa o bacalhau nesta época do ano. “O preço está um pouco salgado, então, o jeito é improvisar na receita e colocar bastante legumes como batata, cenoura, brócolis, e outros como ovos e azeitonas”, diz.

Comércio está otimista com vendas de peixes
Reginaldo aposta em camarão – Foto: Emidio Marques

Peixaria prevê mais vendas

O proprietário de uma peixaria no bairro Jardim Simus, Reginaldo Mendes de Almeida, afirma que espera um aumento na venda de peixes este ano em torno de 30% em relação à Páscoa anterior. Segundo o comerciante, a peixaria pretende vender em torno de 500 quilos de pescados de diversos tipos, além da tradicional sardinha e do bacalhau. “Este ano com certeza as vendas serão maiores porque a Páscoa 2019 é em meados de abril. E no ano passado caiu no fim de março, época em que os clientes já estão com menos dinheiro”, aponta. Reginaldo aposta ainda na venda de frutos do mar e por isso também investiu em camarão, com quatro variedades para o consumidor. “Temos também o bacalhau importado da Argentina e o salmão da Noruega, que muita gente gosta de consumir nesta época do ano”, destaca.

Em relação aos preços, o comerciante disse que principalmente os pescados então praticamente com os mesmos valores do ano passado.

Comentários

CLASSICRUZEIRO