Economia

Com novo ICMS em SP, produtos do varejo ficam até 13,4% mais caros

Com novo ICMS em SP, produtos do varejo ficam até 13,4% mais caros
Crédito da foto: Fábio Rogério (9/12/2020)

O decreto do governo do Estado de São Paulo que determinou o aumento do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) encareceu produtos do varejo em até 13,4% com a nova alíquota, segundo pesquisa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e Associação Paulista de Supermercados (Apas), divulgada pela Associação de Lojistas de Shoppings (Alshop).

Produtos como luminárias subiram até 13,4%; peças de vestuário, artigos de couro e calçados, por sua vez, até 7,3%; produtos eletrônicos, mais 4,4%; móveis e colchões, 1,8%.

Segundo a pesquisa, o setor também sofre com o aumento dos custos indiretos, pois os impostos sobre máquinas e equipamentos usados nas indústrias e serviços de telecomunicações ficaram mais caros. Além disso, entra na conta o preço dos combustíveis

O levantamento indica que esses custos indiretos devem se refletir em uma alta de até 5% no custo operacional do comércio.

Produtos lácteos

Os produtores de leite do Estado de São Paulo estão mobilizados para tentar reverter decisão do governo estadual que elevou o Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em diferentes etapas da cadeia produtiva. A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), uma das entidades à frente das negociações com o governo, defende também a renovação de convênios do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), para evitar impacto nos preços de insumos, máquinas e implementos agrícolas.

Leia mais  Novo marco legal do câmbio deve facilitar a adesão à OCDE

O presidente da Faesp, Fábio de Salles Meirelles, informou em comunicado que o aumento do ICMS, em vigor desde janeiro, resulta da Lei 17.293/20, referente ao ajuste fiscal promovido pelo governador João Doria. (Estadão Conteúdo)

Comentários