Economia

Cadastro Positivo terá inclusão de nomes automaticamente em julho

Ampliação do sistema deve facilitar obtenção de financiamento a juros menores para bons pagadores
Cadastro Positivo terá inclusão de nomes automaticamente em julho
Intenção é favorecer a aprovação de crédito e movimentar mais a economia. Crédito da foto: Adival B. Pinto / Arquivo JCS (8/8/2014)

A partir de julho, os consumidores brasileiros terão seus dados de adimplência (pagamento em dia) incluídos automaticamente no Cadastro Positivo. Administrado por serviços de proteção ao crédito como SPC, Serasa e Boa Vista, o banco de dados reunirá informações se o consumidor é bom pagador. Será, em tese, o contrário dos “cadastros de negativados”, que apontam a inadimplência.

O cadastro apresenta uma avaliação de risco de pessoas físicas e jurídicas para a obtenção de crédito desde 2011, gerando uma nota chamada de “score”. Com nova lei sancionada nesse ano, a adesão passa ser automática em julho, enquanto antes era voluntária.

Professor universitário e economista Geraldo Almeida. Crédito da foto: Divulgação

O economista Geraldo Almeida aponta que o cadastro poderá mostrar o outro lado do histórico de consumo da população, não focando apenas na inadimplência. Ele destaca que isso deve favorecer o acesso ao crédito para uma parcela da população que tem dificuldade em obter esses recursos e que isso é bom para a economia. “A economia anda com o crédito”, observa.

Leia mais  Auxílio poderá ser menor, diz secretário

As instituições de proteção ao crédito argumentam que profissionais autônomos sem comprovação de renda formal, por exemplo, poderão utilizar o Cadastro Positivo para obter financiamentos de maneira mais fácil. Uma boa nota também pode fazer com o que o consumidor pague juros mais baixos.

O economista pondera, no entanto, que o mais importante é a melhora da economia com um todo e a promoção de uma educação financeira que possibilite ao cidadão usar o crédito de maneira mais adequada. Ele também aponta a questão da privacidade quanto aos dados, pois as informações de consumo serão disponibilizadas a terceiros. “É a sua vida”, afirma.

Fora da lista

Cadastro Positivo terá inclusão de nomes automaticamente em julho
O empresário Antonio Bergamo considera a medida benéfica. Crédito da foto: Fábio Rogério

De acordo com a lei do Cadastro Positivo, o consumidor poderá pedir à instituição de crédito a exclusão do seu nome, além de ter direito a acessar gratuitamente, independentemente de justificativa, as informações sobre ele existentes no banco de dados.

A alteração na lei, que permitiu a inclusão automática dos dados, ocorreu devido à baixa adesão ao Cadastro Positivo desde sua implantação em 2011. De acordo com o governo, o banco reúne informações de aproximadamente 6 milhões de pessoas e com a nova lei pode chegar a 130 milhões.

Leia mais  Caixa credita auxílio, dos ciclos 3 e 4, para os nascidos em junho

Geraldo Almeida avalia que a baixa adesão voluntária esteja relacionada ao desconhecimento quanto ao sistema. Uma campanha nacional para divulgação do banco de dados é realizada pela Associação Nacional dos Bureaus de Crédito desde o início do mês para esclarecer a população.

Opiniões

Cadastro Positivo terá inclusão de nomes automaticamente em julho
Adriano questiona a privacidade sobre os dados pessoais. Crédito da foto: Fábio Rogério

O publicitário Adriano de Moraes já tinha ouvido falar do cadastro e acredita ser uma boa a iniciativa se mantiver a privacidade dos dados e condições favoráveis de crédito. “Se for para trazer benefícios, acho bom. Se for para termos taxas melhores.”

Apesar de não realizar crediário em sua loja, o empresário Antonio Augusto Bergamo considera a medida benéfica, estimulando o bom comportamento nas compras a prazo.

A assistente financeira Maressa Ribeiro se inscreveu no Cadastro Positivo ao conhecer a iniciativa no site do Serasa. Ela conta que acompanhava na plataforma digital o seu “score” devido a dívidas que possuía. Maressa relata que após dificuldades com o cartão de crédito, segue agora um plano e as dívidas estão quase todas quitadas. (Priscila Fernandes)

Comentários