Brasil Economia

Bolsonaro faz elogio público a Guedes

Presidente ressaltou medidas da equipe econômica na crise e que não quer brigar com a Petrobras
Bolsonaro faz elogio público a Guedes
Permanência do ministro no governo havia sido questionada. Crédito da foto: Marcelo Camargo / Arquivo Agência Brasil (5/2/2021)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, fez ontem um elogio público ao ministro da Economia, Paulo Guedes, após parte do mercado questionar a permanência do economista liberal no governo em meio à interferência do Planalto na Petrobras. O chefe da Economia também foi elogiado no discurso do ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo.

“Tivemos um momento muito difícil ano passado, pude contar com grupo de 22 e depois 23 ministros para levar a frente propostas e meios para bem atendê-las, e uma das pessoas mais importantes nessa luta foi o ministro Paulo Guedes. Obviamente, por ser o homem que decide as finanças no governo, ele tem amigos e opositores, mas a todos ele tratou com muita galhardia”, disse Bolsonaro.

O presidente voltou a dizer que o Brasil precisa da Economia para vencer a pandemia e citou medidas tomadas pela equipe econômica durante a crise. “Guedes muito bem assessorado, como no caso do específico Pronampe (linha de crédito para micro e pequenas empresas) pelo nosso senador Jorginho Mello de Santa Catarina, fez um dos mais brilhantes projetos em uma situação que ninguém podia esperar”, completou.

Leia mais  Biden e Trudeau querem reconstruir laços EUA-Canadá em reunião virtual

Já Ramos citou que Guedes tem feito “o que é possível para o País” e destacou a “resiliência, determinação e força de vontade” do ministro.

Bolsonaro também afirmou que não quer brigar com a Petrobras, depois de ter feito intervenção no comando da estatal. “Energia é uma coisa extremamente importante para nós. Não temos briga com a Petrobras. Queremos, sim, que, cada vez mais, ela possa nos dar transparência e previsibilidade.”

“Eu queria cumprimentar todos aqueles que não se deixarem levar pelas falácias da mídia. Cumprimentar que a Petrobras já recuperou 10% no dia de hoje (ontem). As acusações infundadas duraram poucas horas. É natural que quando há um prazo para acabar um mandato, o presidente seja reconduzido ou outro seja colocado em seu lugar”, afirmou, no lançamento da iniciativa Agenda Prefeito + Brasil, da Secretaria de Governo.

Para Bolsonaro, o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, é um bom gestor, assim como o seu substituto, general Joaquim Silva e Luna. “Saiu um bom gestor, está entrando um outro excelente gestor. No caso, o Silva e Luna”, disse. “Silva e Luna fez um excepcional trabalho em Itaipu Binacional. Quantos de nós governadores gostaríamos de ter alguém como o Silva e Luna em uma estatal.”

Leia mais  Mais cidades adotam medidas restritivas

Em uma reunião tensa, o conselho de administração da Petrobras aprovou ontem a convocação de uma assembleia extraordinária de acionistas que decidirá sobre a destituição do atual presidente da estatal, Roberto Castello Branco, do colegiado da companhia. A decisão, por maioria, atende ao pedido do governo. (Estadão Conteúdo)

Comentários