Economia

Bolsa recua e dólar volta para R$ 3,90 com noticiário político

Os mercados brasileiros viveram um dia de instabilidade nesta quinta-feira (16), apesar do tom positivo no exterior com o anúncio de que Estados Unidos e China voltarão à mesa de negociação para tentar resolver conflitos comerciais.

De manhã, o dólar caía em relação ao real, atingindo R$ 3,869 na mínima, em sintonia com a desvalorização da moeda americana pelo mundo -das 31 principais divisas, 20 avançaram sobre o dólar. A partir de 12h, no entanto, as cotações começaram a oscilar, e o dólar fechou em alta de 0,12%, a R$ 3,906.

Analistas apontam que investidores se assustaram com a notícia, vinculada pelo portal G1, de que o candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) poderia ser alvo, antes do primeiro turno das eleições, de ações do Ministério Público de São Paulo, por improbidade administrativa.

Leia mais  Mercado reduz projeção de crescimento da economia para 2,48% em 2019

Logo após a notícia circular, o dólar chegou a bater R$ 3,927. O Ibovespa, que tinha leve alta, passou a cair e terminou em baixa de 0,34%, a 76.818,72 pontos.

Alckmin é o candidato preferido do mercado, que o vê como um nome mais reformista. Investidores ficaram animados com a aliança entre o tucano e o centrão, que lhe rendeu quase 40% do tempo de TV na disputa, mas se preocupam porque a candidatura ainda não decolou nas pesquisas.

O presidenciável depôs na quarta-feira (15) no Ministério Público paulista em inquérito que apura suposto caixa dois em campanhas de 2010 e 2014. “O investidor está arisco em meio à volatilidade, se assustou e saiu comprando dólar. Ninguém quer ficar para trás. Depois, o mercado para, pensa e se acomoda”, afirma Cleber Alessie, operador de câmbio da H.Commcor.

Segundo ele, o movimento é um típico exemplo da temporada especulativa do período eleitoral. “O tema ficou um pouco fora do radar com a situação na Turquia, mas agora voltou para o horizonte do investidor.”

Leia mais  PIB brasileiro medido pela FGV cresceu 1,1% em 2018

Lá fora, o viés foi positivo para Bolsas e moedas emergentes, após a China anunciar que vai realizar nova rodada de negociações com os Estados Unidos, suavizando tensões sobre a guerra comercial entre os dois países. O Dow Jones, principal índice da Bolsa de Nova York, subiu 1,58%.

Comentários