Economia

Bolsa fecha em alta de 2,51%, perto da máxima do dia

Santander (+8,11%) e Itaú (+6,04%) sustentaram o desempenho do Ibovespa na sessão
Ibovespa fecha com baixa de 2,43%
Fachada do prédio da Bolsa de Valores de São Paulo. Crédito da foto: Hugo Arce / AFP (5/1/2014)

Em desempenho superior ao de Nova York, o Ibovespa ganhou vigor no meio da tarde desta quinta-feira (8) acentuando ganhos acima de 2%, nas máximas do dia, com o impulso proporcionado pelas ações de bancos e de commodities, setores de grande peso na B3. Assim, vindo de resultados negativos em três das quatro sessões anteriores, o índice conseguiu fechar na casa dos 97 mil pontos pela primeira vez desde 24 de setembro, com giro financeiro a R$ 26,5 bilhões no encerramento.

Saindo de mínima na abertura a 95.529,57 pontos, foi a 97.937,72 pontos na máxima desta quinta-feira, no maior nível intradia desde 28 de setembro, para fechar aos 97.919,73, em alta de 2,51%, a maior desde 1º de setembro (2,82%) e o maior nível de fechamento desde 18 de setembro (98.289,71). Na semana, o Ibovespa avança 4,15% e, no mês, 3,51% – no ano, cede agora 15,33%.

Muito atrasadas em 2020, as ações de bancos, com Santander (+8,11%) e Itaú (+6,04%) à frente, sustentaram o desempenho do Ibovespa na sessão, em momento em que os investidores buscam alternativas descontadas e com boa perspectiva, ainda que de longo prazo. Destaque também para Petrobras (PN +3,28%, ON +3,42%) e Vale ON (+1,86%). Na ponta do Ibovespa, IRB, após dois dias de perdas na casa de dois dígitos, subiu hoje 20,19%, seguida pela Unit do Santander, por Itaú PN e Bradesco ON (+5,67%). No lado oposto, Usiminas cedeu 2,55%, B2W, 1,61%, e Eletrobras ON, 1,44%.

“A avaliação do UBS para os bancos brasileiros divulgada hoje, com perspectiva de lucro maior e custo de risco melhor no terceiro trimestre, ajudou o setor como um todo, em especial Itaú, mantida a preferência da instituição pelo banco entre os grandes pares brasileiros”, observa Bruno Musa, sócio da Acqua Investimentos. “A análise é de que a inadimplência vai ter um impacto menor sobre os resultados do setor do que se antevia para o terceiro trimestre.”

“Vale lembrar que os múltiplos (dos bancos) estão bem atrativos, como destacado por grandes bancos de investimento ainda no final do mês passado. Além disso, no nível atual, os ‘dividend yields’ projetados para o ano que vem chegam à casa de 7%, dependendo da ação, e o setor ainda mantém desempenho bem abaixo do Ibovespa: o índice financeiro recua no ano 26%, enquanto o Ibovespa cede 15%”, diz Rafael Ribeiro, analista da Clear Corretora.

No quadro mais amplo, Musa, da Acqua, aponta que os ganhos no Ibovespa se acentuaram no momento em que saíam os dados sobre seguro-desemprego no Brasil referentes a setembro, em forte queda ante o mesmo mês do ano passado, mas ainda em expansão quando se considera o acumulado nos nove primeiros meses de 2020. “É preciso tomar esses dados com cuidado porque a concessão do auxílio emergencial pode estar reduzindo o número de pessoas em busca de trabalho no momento”, acrescenta, chamando atenção também para o desempenho positivo das vendas do varejo em agosto, divulgado pela manhã, que já contribuía para o avanço do Ibovespa nesta quinta-feira. (Estadão Conteúdo)

Comentários