Economia

Alshop: 53% temem fechamento definitivo

Alshop: 53% temem fechamento definitivo
Lojas de um shopping de Sorocaba . Crédito da foto: Luiz Setti / Arquivo JCS (21/8/2015)

Com o agravamento da crise do coronavírus e o fechamento do comércio em boa parte do País, 53% dos lojistas de shopping centers temem ter que realizar novas demissões e até mesmo fechar as portas definitivamente.

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, 84% dos lojistas já diminuíram a quantidade de postos de trabalho devido à queda nas vendas e às restrições no expediente. Só 35% ainda seguem confiantes na recuperação das vendas no pós-pandemia.

Os dados fazem parte de levantamento divulgado ontem pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop). A entidade diz representar empresas que somam mais de 9 mil pontos de venda em todo País.

“A pesquisa aponta que a nova onda de fechamento já reflete diretamente na economia. Quase todos os associados já demitiram e mais da metade teme o fechamento definitivo, o que mostra a gravidade da situação”, ressaltou em nota o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun.

“Por outro lado, medidas de ampliação do crédito não chegaram de maneira uniforme aos empreendedores pequenos, que em um shopping center representam 70% das lojas”, complementou.

Leia mais  Receita adia o prazo de entrega da Declaração de Imposto de Renda

Entre as medidas de apoio nesta crise, os varejistas aguardam a reedição do Programa Emergencial de Manutenção de Emprego e Renda, conhecido como BEm. Com suspensão de contratos e redução de jornada de trabalho, com pagamento de parte dos salários pelo governo, o programa garantiu a manutenção de 11 milhões de empregos, segundo o próprio ministro da Economia, Paulo Guedes.

Também há expectativa de reedição do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). (Estadão Conteúdo)

Comentários