Economia

Saque do PIS/ Pasep soma R$ 6,3 bi em oito dias

Apenas na última semana, a Caixa Econômica e o Banco do Brasil pagaram R$ 6,3 bilhões a 7,4 milhões de pessoas que têm direito ao saque do fundo do PIS/ Pasep, que desde o dia 8 de agosto foi ampliado para todas as idades.
Com isso, a liberação total dos recursos do fundo, que começou em outubro do ano passado, quase dobrou e já alcançou R$ 12,8 bilhões pagos a 12,2 milhões de pessoas, segundo informações do Ministério do Planejamento.

O saque é permitido para servidores públicos e trabalhadores com carteira assinada entre 1971 e 4 de outubro de 1988 que ainda não sacaram os valores. Inicialmente, a liberação foi feita para mulheres e homens com mais de 62 anos e 65 anos, respectivamente. Interessado em injetar mais recursos na economia, que demora a se recuperar, o governo decidiu pela ampliação da idade permitida para saques, o que passou a ocorrer a partir deste mês.

Restam no fundo R$ 29,4 bilhões disponíveis, que podem ser sacados por 16,4 milhões de cotistas até o dia 28 de setembro nas agências da Caixa e do Banco do Brasil.

Leia mais  Guedes diz que medidas anunciadas até agora equivalem a mais de 4,8% do PIB

Dos R$ 6,3 bilhões pagos entre o dia 8 de agosto e esta quarta-feira (15), cerca de R$ 4 bilhões foram depositados diretamente na conta dos cotistas com conta na Caixa ou no BB. O restante foi sacado nas agências dos dois bancos por cotistas que não são correntistas.

Segundo o Planejamento, somente nesta terça-feira (14), primeiro dia em que os saques de não correntistas foram liberados, mais de R$ 1 bilhão foram retirados.
A partir de 29 de setembro, o benefício volta a ser concedido exclusivamente aos trabalhadores que atenderem a um dos critérios habituais: idade igual ou acima de 60 anos, aposentados, pessoas em situação de invalidez (inclusive os seus dependentes), herdeiros de cotistas e participantes no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC).
Abono x fundo 

A cota do PIS/ Pasep é um benefício diferente do abono salarial, que é pago todos os anos a uma parcela dos trabalhadores. O fundo foi constituído entre 1971 e 1988, e o direito ao saque se restringe aos trabalhadores que contribuíram nesse período. Depois disso, a Constituição remanejou a contribuição para o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), que passou a sustentar, entre outras despesas, o abono.

Herdeiros também podem fazer saques em nome de cotistas já falecidos. Na maioria dos casos, uma declaração de dependente do INSS é suficiente para permitir o saque.

Leia mais  Petrobras: conselho adia em 30% a remuneração durante o 2º trimestre

Não é incomum, segundo o Ministério do Planejamento, que cotistas do fundo não recebam o crédito em conta, já que muitas vezes o CPF não foi registrado na época da contribuição. Nesses casos, a situação pode ser regularizada com a apresentação de documentos.

Como conferir o seu saldo 

Na Caixa Econômica Federal: 

Os trabalhadores da iniciativa privada devem acessar o site da Caixa A consulta também pode ser feita pelo telefone 0800-7260207, nos caixas eletrônicos, com Cartão do Cidadão, e na internet; é preciso informar CPF ou NIS (Número de Identificação Social) e data de nascimento

No Banco do Brasil: 

Os servidores devem acessar o site do BB A consulta também pode ser feita nos caixas eletrônicos; será preciso informar o CPF e a data de nascimento

Herdeiros: 

Para saber se têm direito aos valores, os herdeiros podem consultar a Caixa ou o Banco do Brasil Para o saque, será preciso ir a uma agência bancária com um dos seguintes documentos:

Leia mais  Percentual de famílias com dívidas atinge recorde em março

Documento de identificação do herdeiro

Documento de identificação do cotista que já morreu

Comprovante de inscrição no PIS ou no Pasep

Comprovante do vínculo com o titular, que pode ser:

Certidão ou declaração de dependente habilitado à pensão por morte do INSS

Atestado fornecido pelo órgão público, no caso de servidor

Alvará judicial designando o sucessor ou representante legal

Formal de partilha ou escritura pública de inventário e partilha

Entenda as regras: 

– O fundo PIS/Pasep contém o dinheiro que foi depositado por empresas e órgãos públicos em nome dos trabalhadores entre 1971 e 1988

– Até 2017, os saques só eram permitidos nos casos de aposentadoria, idade mínima de 70 anos, invalidez, morte e algumas doenças específicas

– Medida provisória do governo do ano passado permitiu o saque para mulheres a partir de 62 anos para homens com 65 anos ou mais

– Essas regras foram sendo flexibilizadas pelo governo. Entre os dias 8 de agosto e 28 de setembro, os saques serão permitidos a cotistas de qualquer idade.

Comentários