Cultura

Unidos do Cativeiro irá renovada à avenida

A agremiação levará ao público um enredo histórico, que conta a saga de três sorocabanos que fundaram Cuiabá
Unidos do Cativeiro irá renovada à avenida
Assim como o samba-enredo, as fantasias das 12 alas começaram a ser confeccionadas em maio e estão todas praticamente prontas. Crédito da foto: Fábio Rogério

“Quem tem perna curta começa na frente”. O ditado popular foi conselheiro da Escola de Samba Unidos do Cativeiro na preparação do Carnaval de 2019, que promete ir para à avenida “renovada” e fortalecida por parcerias escolas de samba da região. Fundada há quase 30 anos, porém sem nunca ter conquistado o título de campeã, a agremiação da zona oeste planejou o desfile deste ano com antecedência e levará para a avenida um enredo histórico, que conta a saga de três sorocabanos que fundaram Cuiabá, capital do Mato Grosso: Pascoal Moreira Cabral, Manoel de Campos Bicudo e Miguel Sutil.

O tema foi definido em março de 2018 e esmiuçado por meio de profunda pesquisa liderada pelo carnavalesco Márcio Henrique de Oliveira Silva. O resultado da imersão sobre o trio pouco conhecido pelos próprios sorocabanos é o samba-enredo intitulado “Cuia que vá, daí virou ikuapá… Será? 300 anos de Cuiabá”, escrito pelo compositor paulistano Pedro Maciel, integrante da ala musical da Nenê da Vila Matilde.

Leia mais  Festas brasileiras são o tema da escola de samba Estrela da Vila

 

De acordo com a historiografia oficial do Estado, uma expedição liderada pelo sorocabano Pascoal Moreira Cabral chegou ao local em 1718 em busca de indígenas, subiu pelo Coxipó, onde travou uma batalha, perdida, com os índios bororós. Com o ocorrido, voltaram e, no caminho, encontraram ouro, dando origem à Vila Real do Senhor Bom Jesus de Cuiabá. “Pouca gente sabe, mas foram os sorocabanos que fundaram Cuiabá, que é a principal cidade do Centro-Oeste e é o coração do Brasil”, afirma Márcio Henrique.

Segundo o carnavalesco, além de contar a história desses três desbravadores, a escola vai render homenagear aos habitantes de Cuiabá e mostrar as belezas naturais da capital matogrossense. “Também vamos fazer referência à Arena Pantanal [estádio da Copa de 2014] e à Mangueira, que no Carnaval de 2013 também homenageou a cidade”, detalha.

Ala de capoeiristas

Outro destaque da agremiação carnavalesca será a tradicional ala de capoeiristas, que faz referência aos fundadores da escola. A vice-presidente Silvana Regina Carvalho comenta que a escola vermelha e branca foi criada em 1989 no Jardim São Marcos, na zona oeste da cidade, a partir de um bloco formado por mestres e alunos de uma academia capoeira que funcionava na Rua da Penha. Segundo ela, no dia 13 de maio a escola completa 30 anos. A festa, porém, ocorrerá no dia 19 de maio, quando a agremiação sorocabana será oficialmente batizada pela Barroca Zona Sul, da capital paulista.

No desfile deste ano, a Unidos do Cativeiro irá para a avenida com o apoio de duas escolas de samba da região: a Império da Vila Esperança, de Tatuí, e a Unidos da Vila, de Votorantim. Com a primeira, a parceria consiste na participação da bateria completa e com a segunda, no reaproveitamento de fantasias de seu acervo.

Segundo o presidente Wilson Alves da Silva Júnior, as parcerias visam fortalecer não apenas a Cativeiro, mas o Carnaval regional, bem como propiciar a abertura de espaço para que os foliões dessas agremiações possam desfilar.

Em Votorantim, os desfiles de rua deste ano foram cancelados pela gestão do prefeito Fernando Oliveira (DEM), enquanto em Tatuí o Carnaval de rua concentra basicamente blocos. “O Cacá [presidente da Unidos da Vila], que tem uma grande experiência com Carnaval, nos deu todo o suporte com as fantasias e muita gente de lá virá desfilar com a gente”, comenta.

Unidos do Cativeiro irá renovada à avenida
O barracão da escola está funcionando no antigo Território Jovem do Jardim Ipiranga. Crédito da foto: Fábio Rogério

Já em relação à participação da bateria da Império da Vila Esperança, formada por cerca de 40 ritmistas sob o comando de Mestra Roberta, a Cativeiro afirma promete retribuir com a doação de fantasias para os carnavais dos próximos anos.

Desde meados de 2018, o barracão da escola funciona no antigo Território Jovem do Jardim Ipiranga, cedido pela associação de moradores de bairro à escola. “É o retorno às nossas origens, já que o berço da escola foi na zona oeste”, diz Silvana. Sob a supervisão de Márcio, um grupo de aproximadamente 15 pessoas, entre voluntários e membros da diretoria, que foi amplamente renovada, se reveza nos acertos dos últimos detalhes.

Assim como o samba-enredo, as fantasias das 12 alas começaram a ser confeccionadas em meados de maio e estão todas praticamente prontas. “Como somos pequenos, decidimos sair na frente para fazer tudo com calma e bem feito”, comenta o presidente.

O carnavalesco Márcio Henrique detalha que nesta semana o momento é de arrematar os últimos detalhes das alegorias dos dois carros que a escola levará para a avenida. “Estamos unidos, com muita harmonia e comprometimento, trabalhando para terminar pelo menos entre as três primeiras colocadas”, conclui Wilson. (Felipe Shikama)

Unidos do Cativeiro

Samba: “Cuia que vá, daí virou ikuapá… Será? 300 anos de Cuiabá”
Compositor: Pedro Maciel
Integrantes: 200
Intérpretes: Cláudio e Chocolate
Alas: 12

Comentários