Buscar no Cruzeiro

Buscar

Trem Republicano realiza sua viagem inaugural

18 de Dezembro de 2020 às 19:19

Trem percorre oito quilômetros. Crédito da foto: Fábio Rogério

Após 15 anos de espera, a Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) ganha hoje um novo roteiro turístico: o Trem Republicano que passa a percorrer os trilhos da antiga Companhia Ytuana de Estradas de Ferro, entre Itu e Salto.

O bilhete custa a partir de R$ 77 (inteira) e dá direito ao trecho Itu/Salto em vagão convencional, que é equipado com assento duplo com poltronas estofadas e inclui serviço de bordo, kit lanche, bebida (1 água ou 1 refrigerante) e guia local.

De acordo com o empresário Adonai Arruda, presidente da Serra Verde Express, empresa que venceu a licitação para operar o atrativo turístico, todos os moradores de Itu e Salto terão direito a desconto de 50%. Para obter o benefício é necessário preencher formulário no site www.serraverdeexpress.com.br e apresentar na bilheteria comprovante, como conta de luz ou água. O trem também vai oferecer pacotes mais sofisticados, como “classe botique”, em vagão que possui varanda central, lounges e janelas panorâmicas e inclui passeios em Salto e van para o retorno a Itu, que custa a partir de R$ 322. Os ingressos serão vendidos na bilheteria da estação das duas cidades e também no site da operadora.

https://youtu.be/jGhUvaCwQBE

O atrativo turístico é considerado uma das apostas para a retomada do aquecimento econômico no período pós-pandemia, devido ao perfil de estâncias turísticas dos dois municípios. O presidente da Serra Verde Express, empresa que integra uma holding de turismo e também opera os trens turísticos na ferrovia Curitiba-Paranaguá, comenta que a expectativa é que o trem atraia visitantes de todo o país, impulsione a cadeia turística, como hotéis, restaurantes, transportes e serviços, e incremente a economia regional. “Nós estamos em um polo econômico que no entorno de 60 km dá 6 milhões de habitantes contra 3 milhões [no Trem Turístico] de Curitiba. Aqui a gente tem um potencial comercial muito mais ativo e o segundo ponto é o aspecto histórico, que é o berço da República”, afirma. “O turismo é uma coisa fantástica, é a industria sem chaminé”, complementa.

Inicialmente, devido à pandemia do novo coronavírus, o Trem Republicano vai rodar apenas um horário, saindo de Itu às 9 horas e retornando de Salto às 14h30, com 50% da capacidade para manter o distanciamento social, seguindo os protocolos sanitários. Com a situação normalizada, além de eventuais passeios temáticos, o trem passará a circulará em dois horários diários, de segunda a quinta-feira, três horários às sextas e domingos, e quatro aos sábados.

Viagem inaugural

Ontem, ao meio-dia, foi realizada a viagem inaugural restrita à imprensa e convidados e chamou a atenção de dezenas de pessoas que chegaram a se posicionar em pontos estratégicos para tirar fotos da composição. O passeio contou com apresentação de um grupo musical a bordo, entoando canções como “Romaria”, de Renato Teixeira, e “Encontros e despedidas”, de Milton Nascimento.

O percurso de 7,3 quilômetros de extensão foi completado em cerca de 40 minutos. A velocidade baixa e cadenciada permite que o passageiro aprecie a vegetação preservada. Em um trecho, é possível ver ao lado esquerdo a SP-75 (Rodovia Santos Dummont), que liga Sorocaba a Campinas. Mais adiante, a composição passa por um túnel sob a rodovia Engenheiro Herculano Godoy Passos e atravessa uma ponte sobre o córrego Guaraú, no limite entre Itu e Salto. Após um trecho de subida, no limite com Salto, a composição para por alguns minutos até obter autorização do Centro de Controle Operacional (CCO) para acessar o trecho final, que fica paralelo à ferrovia da rota cargueira atualmente operada pela empresa Rumo. Por entre a vegetação fechada, é possível ver o monumento de 30 metros de altura dedicado à Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira Salto e, por fim, o Rio Tietê e a ponte estaiada da cidade, que conta com mirante.

Crédito da foto: Fábio Rogério

Os carros de passageiros homenageiam nomes de personagens importantes da história das duas cidades: o ituano Prudente de Moraes, terceiro presidente da República, que governou o Brasil entre 1894 e 1898); A fazendeira Olímpia Augusta da Fonseca Prado, dona da casa que sediou a célebre convenção republicana em 23 de abril de 1873 e o ator e diretor saltense Anselmo Duarte, laureado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes pelo seu filme “O Pagador de Promessas”.

A composição usada no trem republicano é formada por uma locomotiva a diesel fabricada em 1952, que pertenceu à antiga Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, e três carros de passageiros, sendo o primeiro da “classe botique” e os outros dois, convencionais, em inox. Durante o percurso, usando um microfone amplificado em caixas de som dos vagões, um guia destaca aspectos históricos da Estrada de Ferro Ytuana, cuja inauguração, em 17 de abril de 1873, reuniu lideranças republicanas que, no dia seguinte, participariam da Convenção Republicana de Itu, marco da fundação do Partido Republicano Paulista (PRP), que teve papel decisivo 16 anos depois, na queda do regime monárquico e a proclamação da República.

15 anos no papel

O nome projeto, que levou 15 anos para sair do papel, faz alusão ao fato histórico de Itu ter sediado a convenção do Partido Republicano em 1873, considerada um passo decisivo para a proclamação da República no Brasil em 1889. A ideia de projeto surgiu em 2005, no 7º Seminário Nacional de Preservação e Revitalização Ferroviária, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, organizado pelo Movimento de Preservação Ferroviária (MPF). O projeto começou a ganhar viabilidade em 2007, quando da construção da rodovia Engenheiro Herculano Godoy Passos foi deixada uma passagem sob ela para o Trem Republicano. Em 2008 as prefeituras de Itu e Salto efetivaram a criação do Consórcio Intermunicipal do Trem Republicano (Citrem) e receberam recursos públicos para executar a obra. Uma primeira empresa contratada construiu aproximadamente dois quilômetros do trajeto, mas desistiu devido à demora no repasse de verba federal. Em 2013 o consórcio foi retomado pelos novos prefeitos eleitos que receberam verbas do governo estadual na ordem de R$ 14 milhões. (Felipe Shikama)