Buscar no Cruzeiro

Buscar

Thais Morello lança ‘A corda’, um livro infantil para adultos

06 de Dezembro de 2020 às 00:01

Thais Morello lança ‘A corda’, um livro infantil para adultos Conhecida por seus trabalhos para crianças, Thais agora apresenta componentes lúdicos para leitores mais crescidos. Crédito da foto: Divulgação

Um livro infantil para adultos. Desta forma a psicóloga e escritora sorocabana Thais Laham Morello define “A corda”, seu primeiro livro para o público adulto que acaba de ser lançado. Thais é conhecida por publicações de sucesso entre as crianças, como a série “Atum, o gato grato”, “ CA-TA-RI-NA” e “O búfalo que só queria ficar abraçado”.

Definido como um livro-diário, que carrega componentes lúdicos a fim de encantar os leitores mais crescidos, “A corda” tem design gráfico e ilustrações assinados pela sorocabana Eliete Della Viola, que em 2019 lançou seu primeiro livro de poesia visual e verbal intitulado “Sim”. Para este trabalho, Eliete desenvolveu as ilustrações em monotipia usando corda de sisal.

Com formato sanfonado, que se esticado ultrapassa mais sete metros de cumprimento, a obra possui status de livro-objeto, na medida em que convida o leitor a interagir (ou brincar) com as suas páginas. Em virtude da pandemia, a obra ainda não ganhou eventos presenciais para promover o lançamento, mas pode ser adquirida diretamente com a autora pelo email [email protected]

Resultado do acaso, “A corda” reúne reflexões sobre temas variados escritas em um diário, ao longo de novembro de 2018, entra a saída e chegada dos pacientes no seu consultório. “Toda pessoa que deita ali, no meu divã, contribui mais do que possa supor na minha construção e, por isso, essa urgência de escrever. Escrevo para aguentar a vida. Nos momentos de espera, dos pequenos ócios, da falta de sono. Foi assim que o livro foi se concretizando. Escrevo para viver: tiro da cabeça e coloco no papel e assim descanso um pouco de tanto sentimento”, comenta.

A obra percorre inquietações acerca de temas como morte, vida, amizade, escrita e liberdade. Diante do turbilhão de pensamentos livres repassados à mão para o papel, Thais adotou como única regra escrever o texto seguinte a partir da última frase ou ideia do texto anterior, garantindo coesão entre todos os escritos. Nesta lógica, a autora replicou o método psicanalítico de livre associação que ora estabeleceu conexões entre temas supostamente aleatórios, ora identificou incidência de questões latentes, criando paradoxo enigmático e, ao mesmo tempo, revelador.

Vale destacar que o desejo de compartilhar esses textos, até então íntimos para os leitores desconhecidos da autora, ganhou força durante a pandemia, quando, curiosamente, essas reflexões/confidências, começavam a ganhar outro sentido distanciadas pelo tempo. Com o incentivo de amigos escritores, como a jornalista e escritora Juliana Simonetti que assina a apresentação do livro, Thais ganhou confiança, superou a insegurança e se lançou para a literatura para o público adulto. “O lançamento deste livro foi meu triunfo: venci quem mais me desestimulou e então pude viver a alegria de publicar esses escritos”, comemora, comparando a arte de viver como a de se equilibrar por uma corda. “Cai de um lado, levanta, cai do outro, levanta mais uma vez. Escrever para adultos me fez cair várias vezes. E foi cada tombo [...] Pois então me levantei todas as vezes e decidi: vou escrever um livro infantil para adultos. E assim, aqui estou, em pé com meu livro. Com palavras simples. Com desenho. Com a espontaneidade tão profunda das crianças”, assinala. (Felipe Shikama)