Cultura

Reabertura de gala

Sala Palma de ouro recebe espetáculo da São Paulo Companhia de Dança
Reabertura de gala
Os bailarinos Poliana Souza e Alan Marques em ação pela SPCD: serão apresentadas três coreografias. Crédito da foto: Fernanda Kirmayr / Divulgação

Com um programa diversificado, que inclui a pré-estreia da coreografia “Madrugada”, inspirado em músicas de Francisco Mignone, a São Paulo Companhia de Dança se apresenta na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) no próximo final de semana, na reabertura do Teatro Municipal de Salto – Sala Palma de Ouro.

As apresentações ocorrem nesta sexta-feira (26) e sábado (27), às 18h30, com entrada gratuita, limitada a 150 lugares — a sala possui ao todo 489 lugares. A distribuição da plateia obedece aos protocolos de distanciamento exigidos pelas entidades governamentais, com retirada de ingresso antecipada já disponível pelo site www.ingressodigital.com.

Dirigida por Inês Bogéa, a São Paulo Companhia de Dança (SPCD) é o corpo artístico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerido pela Associação Pró-Dança.

Leia mais  Crime Caqui lança clipe de novo single

O programa, que reúne bailarinos que já convivem entre si para além da sala de ensaio, abre com “Aparições”, obra de Ana Catarina Vieira inspirada nas obras de Candido Portinari (1903-1962), César Guerra-Peixe (1914-1993) e nas danças populares do Nordeste do Brasil. O trabalho evoca imagens do Brasil de maneira poética e com muita liberdade criativa.

Na sequência, os bailarinos apresentam o “Pas de Deux” de “Dom Quixote”, em versão de Duda Braz a partir da obra de Marius Petipa (1818-1910). Vibrante e virtuoso, este duo clássico coloca em cena o momento do casamento de Kitri, filha do taberneiro, com o barbeiro Basílio.

O encerramento fica por conta de “Madrugada”, assinada pelo coreógrafo brasileiro residente na Suíça Antonio Gomes. Criada especialmente para a São Paulo Companhia de Dança, a obra parte das “Valsas de Esquina” de Francisco Mignone (1897-1986) para embalar os bailarinos em um baile atemporal, no qual ingenuidade e nostalgia se encontram com jovialidade e romantismo. É uma dança, ao mesmo tempo, suave, intensa e com muita leveza. A música conta com orquestração de Rubens Ricciardi e execução pela Orquestra do Theatro São Pedro, sob a regência do maestro Claudio Cruz. Os figurinos são de Fábio Namatame e a iluminação é de Wagner Freire.

“É uma grande alegria voltar a encontrar os aplausos do nosso querido público de Salto, que sempre nos recebe tão bem. Estar no teatro com esse repertório é um modo de mostrar a beleza, a força e a resiliência da dança feita em São Paulo”, afirma a diretora artística e executiva da São Paulo Companhia de Dança, Inês Bogéa.

Leia mais  Folia on-line

As apresentações têm o apoio da Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio de Itaú e Tec Total, realização da Associação Pró-Dança/São Paulo Companhia de Dança, Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e Secretaria Especial da Cultura (Ministério do Turismo, Governo Federal).

Além dos espetáculos da São Paulo Companhia de Dança, na reabertura do Teatro Municipal de Salto o público vai poder conferir bastidores e detalhes do evento pelos canais da SPCD no Facebook (@spciadedanca), Instagram (@saopaulociadedanca) e Twitter (@spciadedanca). (Felipe Shikama)

Comentários