Buscar no Cruzeiro

Buscar

Cultura

‘Alô’ é o primeiro livro de Monisa Maciel

Obra infantil já consta no catálogo da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, na Itália

17 de Julho de 2021 às 00:01
Cruzeiro do Sul [email protected]
Monise revela que a obra esperou 21 anos para ser publicada e conta que ainda tem vários originais em sua gaveta.
Monise revela que a obra esperou 21 anos para ser publicada e conta que ainda tem vários originais em sua gaveta. (Crédito: FÁBIO ROGÉRIO)

Uma sequência de telefonemas, pra lá de inusitados, tem preocupado a dona Girafa. Em sua ausência, seus filhotes é que atendem as ligações. E o que será que esses arteiros falam? “Nem te conto”, dizem todos. Curiosa, essa mãe passa então a investigar e acaba tendo uma grande surpresa. Sua descoberta pode ser conferida no livro “Alô”, lançado pela pedagoga e contadora de histórias Monisa Maciel, por meio da editora Carochinha. A obra, voltada ao público infantil, conta com o belo trabalho de ilustrações de Mathias Townsend.

Esse primeiro lançamento de Monisa já chega ao mercado fazendo sucesso. O livro foi selecionado para integrar o catálogo de obras divulgado na Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, na Itália, o mais importante evento literário do mundo, voltado à infância e juventude. Também integra a lista de indicação de livros da conceituada revista literária Quatro Cinco Um: A revista dos livros. Tem também uma outra novidade, de uma parceria com a Alemanha, mas ainda não pode ser anunciada por questões contratuais.

De acordo com Monisa, essa história, que chega agora ao público, aguardou 21 anos para ser publicada. “Iniciar no mercado editorial é desafiador, mas senti que havia chegado o momento dessas palavras ganharem o mundo”, conta.

Cheia de originais em sua gaveta, Monisa resolveu mandar alguns para a editora e o primeiro escolhido para publicação foi “Alô”. “Esse livro surgiu a partir de uma inspiração da infância. Ele retrata o brincar, o mistério e a preocupação das mães e dos educadores com relação a valores que passamos aos filhos, como por exemplo a gentileza”, afirma. A obra aborda também questões como convivência, de memória afetiva, amizade. “Cada leitor vai sentir de um jeito, cada um sente de forma diferente, a partir de sua vivência e isso que é o bonito da literatura, de obras que estão há tanto tempo aí nos encantando.”

Monisa considera que esse seu encontro com a editora Carochinha rendeu uma parceria muito feliz. A autora ressalta também o quanto ficou encantada com as ilustrações de Mathias, que desenvolveu um trabalho minucioso e delicado para traduzir em imagens as suas palavras. Ainda de acordo com Monisa, a editora fez uma busca para encontrar um ilustrador que se encaixasse no perfil desse trabalho e contatou Mathias, que é do Sul.

Foram dois anos de espera para que tudo estivesse pronto. Ansiosa para o lançamento do trabalho, a contadora de histórias teve de esperar mais um pouco ainda, pois quando estava programado o lançamento, teve início a pandemia. A decisão foi adiar, mas como o isolamento foi se prolongando, o lançamento foi realizado de forma virtual, em janeiro deste ano.

Interessados em adquirir o livro podem entrar direto no site da Carochinha www.carochinhaeditora.com.br/produto/alo. O preço é R$ 45,90.

Trajetória

Obra tem ilustrações de Mathias Townsend. - FÁBIO ROGÉRIO
Obra tem ilustrações de Mathias Townsend. (crédito: FÁBIO ROGÉRIO)

Contadora de histórias com mais de 20 anos de experiência, Monisa Maciel passou esse tempo todo se debruçando em livros dos mais variados autores para dar vida a seus personagens. Desta vez, chegou o momento de ter uma história criada por ela mesma chegando a outras pessoas.

O universo literário passou a fazer parte da vida de Monisa de uma forma mais intensa quando foi estudar Pedagogia na Universidade de Sorocaba (Uniso). Como bolsista do curso, ela foi trabalhar na biblioteca, que era compartilhada entre os universitários e os estudantes do Colégio Dom Aguirre, já que ambas as instituições funcionam no mesmo prédio. “Foi assim que eu comecei, contando histórias para crianças”, lembra.

Mais tarde, já intensamente envolvida nessa área, foi fazer outra graduação, desta vez em Letras, porque queria muito estudar literatura infantil. Que o fez, com o professor Roberto Samuel. Nesse período, Monisa iniciou a escrita. ‘Me apaixonei pelo exercício da escrita. Eu tinha 21 anos na época”, conta. Foi escrevendo, mas guardando. O principal é que um de seus textos chega agora ao mercado e tem recebido reconhecimento. (Daniela Jacinto)

Galeria

Confira a galeria de fotos