Cultura

Música composta pelos Mutantes com Tim Maia é descoberta

Parcerias entre os Mutantes e Tim nunca chegaram ao grande público
Música composta pelos Mutantes com Tim Maia é descoberta
Tim Maia se encontrou com o trio nos bastidores do programa “Quadrado e redondo”, da TV Bandeirantes. Crédito da foto: Divulgação

A irreverência, o deboche e a alegria aproximaram Arnaldo Baptista, Rita Lee e Sérgio Dias, os Mutantes, de outro artista que também faria história. Tim Maia era um desconhecido quando se encontrou com o trio nos bastidores do programa “Quadrado e redondo”, da TV Bandeirantes.

“Tínhamos as mesmas influências. Tudo o que ele cantava a gente conhecia”, relembra Sérgio. A banda deixou marcas na trajetória do amigo — e vice-versa. Os Mutantes recomendaram Tim ao diretor da PolyGram, André Midani, que o contratou para gravar seu primeiro LP. Uma gíria criada pelo cantor para designar maconha, baurete, foi usada no título do disco “Mutantes e seus cometas no país do baurets” (1972).

Parcerias entre os Mutantes e Tim nunca chegaram ao grande público. Mas ao menos uma foi enviada em 1971 à Censura Federal, que aprovou a gravação. Uma folha submetida ao órgão com a letra de “Quero mais dinheiro”, assinada pela banda e pelo cantor, circula em comunidades sobre música brasileira no Facebook. A origem do papel é o site do Sistema de Informações do Arquivo Nacional (SIAN), com mais de um milhão de documentos.

Leia mais  Barracão da Vó reúne números circenses em festival on-line

Todos os integrantes dos Mutantes à época — Arnaldo, Dinho Leme, Liminha, Rita e Sérgio — foram contatados pelo jornal O Estado de S. Paulo diretamente ou por meio de assessores. Nenhum deles se lembra da música e em quais circunstâncias ela foi feita. Muito menos de um registro. Mas “Quero mais dinheiro” está preservada nos arquivos da gravadora Universal Music, detentora do acervo da PolyGram. Se houver autorização dos cinco e de Carmelo Maia, filho de Tim que administra o espólio do cantor, a faixa pode ser lançada.

Quem confirma a existência da gravação é o pesquisador Marcelo Fróes. Ele assinou a produção executiva de “Tecnicolor”, álbum que os Mutantes gravaram na França em 1970 e que saiu 30 anos depois Com livre acesso ao arquivo da Universal, ele ouviu outras fitas de 4 e 8 canais com material bruto do grupo e se deparou com “Quero mais dinheiro”.

Comentários