Cultura Mais Cruzeiro

Mozart é repertório de concerto no Teatro Municipal

Orquestra Sinfônica de Sorocaba e Madrigal Vivace apresentam “Réquiem em Ré menor” no domingo (30)
Mozart é repertório de concerto no Municipal
Orquestra Sinfônica de Sorocaba, regida pelo maestro Eduardo Ostergren, já ensaia a obra há alguns meses. Crédito da foto: Teófilo Negrão / Divulgação

O Orquestra Sinfônica de Sorocaba e o Madrigal Vivace de Jundiaí vão se unir no palco do Teatro Municipal Teotônio Vilela (TMTV) na noite do próximo domingo, às 19h, para apresentar uma das mais emblemáticas e misteriosas obras do repertório clássico: “Réquiem em Ré menor”, do austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1971).

Leia mais  Teatro Municipal de Sorocaba sedia o Encontro Finamax de Corais

 

O concerto especial marca a abertura da temporada 2019 dos Concertos Finamax-Astra, realizado com patrocínio da empresa Finamax e apoio da Prefeitura de Sorocaba. Em sua 17ª edição, a temporada mantém a característica de apresentações de grupos nacionais e internacionais de música clássica, com repertório sinfônico e camerístico, com ingressos a preços populares (R$ 10) e renda revertida ao Fundo Social de Solidariedade que, neste ano, será repassada à Creche Maria Claro — que atende cerca de 130 crianças e adolescentes carentes com deficiências múltiplas.

Sob regência do maestro Eduardo Ostergren, a Orquestra Sinfônica de Sorocaba, mantida pela Fundação de Desenvolvimento Cultural de Sorocaba (Fundec), vem ensaiando “Réquiem” há quase dois meses. Envolta por mistérios, a obra de cinco movimentos que enaltecem o sentimento de tragédia, o “Réquiem” é considerado por muitos pesquisadores uma missa escrita para o funeral do próprio compositor Mozart, consciente de que o seu fim se aproximava. De acordo com o pesquisador britânico Simon Keefe, autor do livro “Requiem de Mozart: recepção, trabalho, conclusão”, a obra foi deixada incompleta devido à morte do compositor, em 5 de dezembro de 1791, sendo finalizada posteriormente por seus amigos e discípulos: Franz Xaver Sübmayr, Joseph Leopold Eybler e possivelmente Franz Jacob Freystädtler.

Curiosidades como esta, que circundam a fúnebre e misteriosa obra, aliás, são abordadas por Ostergren com os músicos durante os ensaios da OSS. O regente tem o hábito de fazer pausas na batuta para compartilhar com os integrantes da orquestra curiosidades sobre a vida dos compositores e o contexto geográfico, histórico e social em que as peças foram escritas. “Eu tento descrever o cenário que o compositor está querendo comunicar. Esse aspecto externo [à composição] ajuda a entender a melhor forma de interpretar a música”, justifica.

Mozart é repertório de concerto no Municipal
O Madrigal Vivace de Jundiaí tem regência da maestrina Vastí Atique e repertório variado, do erudito ao popular. Crédito da foto: Divulgação

Atualmente, a Orquestra Sinfônica é composta por 28 músicos profissionais, dos seguintes instrumentos: violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta, oboé, clarinete, trompa, trompete, fagote, trombone percussão e tímpano.

Já o Madrigal Vivace de Jundiaí, sob regência da maestrina Vastí Atique, que também assina a direção artística da temporada, desenvolve um repertório variado dentro dos estilos erudito e popular. Ao longo da carreira, o grupo já se apresentou com o maestro João Maurício Galindo com o coro e Orquestra Sinfônica de Tatuí, Cantata Carmina Burana e com a Orquestra Jovem do Estado o Oratório de Natal Saint- Saens, na Sala São Paulo. O corpo vocal participou também da montagem da “Mass of the children”, de John Rutter, com a Orquestra Comunitária da Unicamp e já foi premiado no Mapa Cultural Paulista 2005/2006.

Os ingressos para “Réquiem de Mozart” custam R$ 10 (inteira) e podem ser adquiridos antecipadamente, hoje e amanhã, das 9h às 18h e na sexta, das 9h ao meio-dia, na agência da Finamax (rua Cesário Mota, 87, Centro) e na Creche Maria Claro (rua João Wagner Wey, 1.240, Jardim América). O TMTV fica na avenida Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, s/n, ao lado do Paço Municipal, no Alto da Boa Vista. (Felipe Shikama)

Comentários