Cultura

Gabinete de Leitura Sorocabano elege nova diretoria

Laor Rodrigues será o próximo presidente que terá como desafio a retomada no pós-pandemia
Membros da diretoria em visita ao jornal Cruzeiro do Sul. Crédito da foto: Fábio Rogério (7/1/2021)

Instituição cultural mais antiga em atividade em toda a região, com 154 anos a serem completados no próximo dia 13, o Gabinete de Leitura Sorocabano elege amanhã a nova diretoria e conselho fiscal. A eleição para o biênio 2021-2023 tem chapa única, intitulada “Oficial Avante”, e é encabeçada pelo empresário Laor Rodrigues, atual vice-presidente da entidade e ex-presidente da Fundação Ubaldino do Amaral (FUA). A confirmação da chapa se dará por meio de uma assembleia geral, aberta a todos os associados em situação estatutária regular, a partir das 8h30, na sede do Gabinete, na Praça Cel. Fernando Prestes, nº 21.

Para o atual presidente da entidade, João Francisco Brotas, o Capitão Brotas, a assembleia deste domingo confirmará o nome de Laor Rodrigues, escolhido por aclamação para dar continuidade às atividades da entidade cultural considerada uma das mais antigas e importantes do interior paulista. A cerimônia de posse, de acordo com o estatuto do Gabinete de Leitura, deve ocorrer no último sábado de janeiro (30).

Laor Rodrigues destaca medidas sanitárias para as atividades. Crédito da foto: Fábio Rogério (7/1/2021)

Brotas destaca que durante o biênio em que esteve à frente da unidade, a sua gestão conseguiu contribuir com o aumento do quadro de associados, de 300 para cerca de 400 pessoas, e promover benfeitorias no imóvel realizando, modernização de toda a parte elétrica, pintura e inaugurando o espaço “Café, livros e companhia”, voltado à interação e socialização entre os frequentadores. “Infelizmente veio essa pandemia e pegou a gente de surpresa, mas foi uma oportunidade muito gratificante e honrosa poder ser presidente do Gabinete de Leitura Sorocabano. Agradeço o apoio que tive de toda a diretoria, comentou Brotas que nesta semana, acompanhado de Rodrigues e demais membros da diretoria, visitou a redação do jornal Cruzeiro do Sul.

Leia mais  Go Home lança single que já está nas plataformas de música

Já Laor Rodrigues, que assumirá a entidade em meio à pandemia, reconhece que o desafio de sua gestão será retomar gradativamente os eventos sociais e atividades culturais mantendo as medidas rígidas de segurança sanitária a fim de evitar o contágio de seus frequentadores. “A gente vive uma nova realidade, e é preciso encontrar novas formas de enfrentar esse desafio”, comenta. Dentre os planos de sua gestão estão a criação de um prêmio para escritores da cidade e a produção de um livro que conta a história da entidade cultural sesquicentenária. A ideia é que a obra seja escrita e publicada de forma colaborativa, envolvendo sócios, intelectuais, instituições de ensino e empresas privadas. “O Gabinete é um capítulo importante na história da cultura e do desenvolvimento de Sorocaba que merece ser registrado e valorizado”, destaca.

Brotas deixará a presidência comemorando novos associados. Crédito da foto: Fábio Rogério (7/1/2021)

Além de Laor, próximo presidente, e Brotas, que ocupará o cargo de diretor social da entidade, participaram da visita ao Cruzeiro os membros da chapa “Oficial Avante”, Luciano Viana de Carvalho, vice-presidente; Silvio César de Góes Menino, 1º secretário; Francisco Carlos Damião, 2º secretário; e Ivani Laís de Carvalho, diretora cultural. Também fazem parte da nova diretoria José Rodrigues de Abreu, diretor de patrimônio; Antonio Carlos Rubinato; 1º tesoureiro; e Aparício Tarcitani, 2º tesoureiro. O novo conselho fiscal será formado por José Ademar Rodrigues, Mario Sérgio Bueno de Miranda e Olavo Zanetti.

Leia mais  Morre Claude Bolling, compositor de ‘Borsalino’

História

Crédito da foto: Fábio Rogério (7/1/2021)

Com mais de 50 mil títulos entre jornais, livros, documentos, fotos e até papiro, o Gabinete de Leitura conta com auditório e oferece computadores conectados à internet. O Gabinete de Leitura Sorocabano foi fundado em 13 de janeiro de 1867, por 13 instituidores, com objetivo de ser uma espécie de “córtex cerebral” da cidade que começava a provar as dores e as delícias do progresso.

Além de funcionar como essa parte do cérebro responsável pelo armazenamento da memória coletiva da cidade a longo prazo, o grupo de voluntários liderado pelo engenheiro Luís Matheus Maylasky, concebeu a entidade a fim de que cumprisse papel de clube social, promovendo diariamente o entretenimento e incentivando a sociabilidade de seus frequentadores, que perdura mais de 150 anos depois.

O Gabinete de Leitura Sorocabano é um dos três do Estado de São Paulo remanescentes da estrutura do Império, ao lado apenas dos gabinetes de leitura de Rio Claro e Jundiaí. Conforme o livro “Gabinetes de Leituras: cidades, livros e leituras na província paulista”, da doutora em História pela USP, Ana Luiza Martins, os gabinetes de leitura na província de São Paulo viveram sua efervescência na segunda metade do século 19, chegando a um total de dezessete, especialmente em cidades marcadas pela prosperidade, situadas ao longo das principais ferrovias — como no caso de Sorocaba, com a Estrada de Ferro Sorocabana, fundada pelo próprio Maylasky, que em 1873 transmitira seu cargo de presidente ao advogado, jornalista e professor Ubaldino do Amaral.

Para se associar, é necessário preenchimento de formulário, mediante apresentação de documento de identidade e três fotos 3×4. A mensalidade é de R$ 30. O Gabinete funciona segunda a sexta, das 9h às 17h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3232-0768. (Felipe Shikama)

Comentários