Buscar no Cruzeiro

Buscar

Folia de Reis se apresenta domingo na praça Cel. Fernando Prestes

04 de Janeiro de 2019 às 06:30

Grupo Folia de Reis fará apresentação domingo na praça Cel. Fernando Prestes O grupo é identificado por fantasias coloridas e os cantos são celebrações em louvor a Jesus Cristo. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (6/6/2018)

A tradição da Folia de Reis se mantém viva em Sorocaba graças à dedicação dos devotos da Companhia de Santos Reis da Vila Formosa - Grupo de Folia de Reis. Neste ano, sem receber qualquer apoio do poder público ou de instituições privadas, o grupo cumprirá uma extensa agenda de compromissos em visitas em casas de fiéis, finalizando com uma apresentação na noite de domingo, na praça Cel. Fernando Prestes, no Centro.

No sábado (5), às 17h, o grupo vai a Mairinque visitar o tradicional presépio da Família Viaro, que está completando 78 anos de existência. Com aproximadamente 4 mil peças, a exposição fica instalada na casa da família, situada na rua Cásper Líbero, 139, no Centro de Mairinque. Mais tarde, por volta das 20h, o grupo retorna a Sorocaba onde visita a residência de uma família no Jardim Abaeté, próximo ao Parque das Águas.

No domingo, o roteiro começa às 8h30 com passagens por casas do bairro Cajuru. Por volta das 19h30, a população em geral poderá conferir a apresentação do grupo na praça Cel. Fernando Prestes. O encerramento da programação ocorre por volta das 22h, quando o grupo de foliões participa de um jantar oferecido por uma família da Vila Fiori. As visitas da Companhia de Santos Reis, identificada por fantasias coloridas, conta com toadas que celebram o nascimento do menino Jesus e relembram a feita pelos três reis magos.

Vale lembrar que no dia 6 de janeiro é que tradicionalmente as pessoas desmontam as árvores de Natal e retiram o presépio e toda a decoração natalina.

Trajetória

No início de dezembro, o Grupo de Folia de Reis se apresentou na praça Cel. Fernando Prestes, dentro da programação do 2º Natal Mágico: Paz na Terra. No entanto, a apresentação mais tradicional, em alusão ao Dia de Reis, comemorado em 6 de janeiro, será realizada de maneira totalmente independente. “Se fôssemos depender de apoio da Prefeitura, o grupo já teria acabado há muito tempo. Temos que lutar para não deixar a tradição morrer”, comenta Eva Kopi, integrante do grupo.

Eva conta que, diferentemente do que ocorria nos últimos anos, a Companhia de Santos Reis da Vila Formosa deixou de receber apoio do Sindicato dos Metalúrgicos (SMetal) para o transporte dos integrantes. “Para fazer os trajetos dentro da cidade, os próprios integrantes estão pagando a van”, acrescenta.

Grupo Folia de Reis fará apresentação domingo na praça Cel. Fernando Prestes Atualmente a Companhia conta com 15 integrantes e cada apresentação tem entre 30 e 40 minutos. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (6/6/2018)

Dificuldades financeiras à parte, dona Eva assinala que os esforços visam garantir a sobrevivência do grupo, que atua em Sorocaba há quase 30 anos. “Enquanto Deus permitir, a gente vai continuar”.

Atualmente a Companhia conta com 15 integrantes. O embaixador do grupo, o aposentado José Kopi, de 73 anos, comenta que cada apresentação tem entre 30 e 40 minutos e o repertório conta com músicas tradicionais que ele ouvia nas folias de Reis do Paraná e outras toadas que ele mesmo compôs. “São músicas que aparecem na nossa mente e iluminam os nossos corações”, afirma.

O grupo é identificado por fantasias coloridas, e segundo José, os cantos são celebrações em louvor a Jesus Cristo. “As toadas são em comemoração à chegada do menino Jesus e a gente pede para Deus abençoar as famílias”.

Considerada uma das festas culturais mais ricas do folclore brasileiro, a Folia de Reis costuma ser celebrada entre 1º e 6 de janeiro, quando as companhias vão de casa em casa cantar os seus versos acompanhados de violas, violões, sanfonas, pandeiros, triângulos, caixas e instrumentos de corda. A celebração se inspira no dia em que os três reis magos, na tradição do catolicismo, visitaram o menino Jesus, nascido em 25 de dezembro. Diz a tradição que, quando os três Reis Magos -- Gaspar, Melchior (ou Belchior) e Baltazar -- viram a Estrela de Belém no céu, foram ao encontro de Jesus, que havia nascido. Ofereceram ao menino Jesus, como presente, ouro, incenso e mirra, que simbolizavam a realeza, a divindade e a imortalidade. (Felipe Shikama)