Cultura

Festival de Artes reunirá a produção cultural da RMS

Inscrições à 1ª edição, que será totalmente digital, começam hoje
Festival de Artes reunirá a produção cultural da RMS
O ator sorocabano Robson Catalunha é o criador do Festival de Artes Híbridas. Crédito da foto: Julio Salvo / JF / Divulgação

A experiência de participar de duas residências artísticas no Watermill Center, o centro criativo do lendário diretor norte-americano Bob Wilson, em Nova York, deu ao ator sorocabano Robson Catalunha uma noção abrangente sobre o enredamento das expressões artísticas. Após dez anos se apresentando e criando mundo afora, Catalunha está de volta à sua cidade natal para dirigir o Festival de Artes Híbridas que nesta primeira edição, em função da pandemia, será totalmente digital.

Dividido em quatro frentes, que inclui bate-papo com artistas e “incubadora de estudos performativos”, o festival ocorrerá entre os dias 1º e 17 de abril e prevê o pagamento de bolsas e cachês, que variam entre R$ 500 a R$ 1 mil, a participantes e projetos selecionados. As inscrições são abertas hoje no site www.festivaldearteshibridas.com.

Voltado a artistas e interessados em diferentes expressões artísticas — daí o termo “artes híbridas” — de todas as 27 cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), o festival tem como objetivo implodir os muros que separam linguagens e formatos. “A intenção é investigar experiências artísticas a partir de diferentes saberes, transitando e borrando as fronteiras entre os conceitos de teatro, dança, performance, música, literatura, fotografia, audiovisual e novas mídias”, comenta Robson Catalunha. As propostas deverão ser entregues por escrito e/ou em vídeo, além de currículo do interessado.

Leia mais  Sorocabana é premiada no ProAc LAB - Expresso 2020

A ideia é que o festival se torne anual e com atrações internacionais a partir do ano que vem — sempre contemplando artistas, grupos e coletivos da RMS, criando e fortalecendo um mapeamento de boa parte da produção artística da região. Essa primeira edição do festival resulta de projeto contemplado no Edital Proac Expresso Lei Aldir Blanc, nº 40/2020, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do governo estadual.

Catalunha destaca que, inspirado em sua experiência no Watermill Center em duas residências artísticas, nos verões de 2017 e 2018 (onde conviveu por cerca de dois meses com dezenas de artistas de mais de 30 países, de diferentes linguagens), pretende estimular a região a refletir, oxigenar e compartilhar manifestações artísticas transdisciplinares.

Uma das frentes do Festival de Artes Híbridas é a Incubadora de Estudos Performativos, concebida com o objetivo de selecionar dez artistas com interesse em desenvolver pesquisas autorais. Para isso vale-se de procedimentos de criação e estética da cena contemporânea, sob orientação dos pesquisadores e artistas da dança Douglas Emílio e Felipe Alduina, além do acompanhamento de três artistas-professores convidados. Os projetos selecionados receberão uma bolsa de estudos no valor de R$ 900.

Já a Mostra de Artes Híbridas, outra atividade do festival, selecionará, também por meio de edital, 30 trabalhos ou experimentos artísticos inéditos, que dialoguem com o conceito de arte híbrida. Cada trabalho selecionado será premiado com R$1 mil.

Leia mais  Morre o pioneiro da ficção científica

Outra frente educativa do festival tem como objetivo selecionar 30 propostas de Ações Formativas virtuais. O material deve ter duração entre 30 e 60 minutos. Cada trabalho selecionado receberá o valor de R$ 500. O Festival de Artes Híbridas ainda contará com o Olhares da Cena Contemporânea, um braço do projeto que consiste na troca de experiências, por meio de palestras/performances, entre artistas e pesquisadores da região e de outras partes do País. Os encontros, abertos a todos os interessados serão transmitidos no website do festival e compartilhados nas redes sociais e o cronograma será divulgado em breve. (Felipe Shikama)

Comentários