Cultura

Exposição de OSGEMEOS lidera a reabertura dos museus em SP

Exposição de OSGEMEOS lidera a reabertura dos museus em SP
Em cartaz até fevereiro, exposição apresenta trabalhos dos Irmãos Gustavo e Otávio. Crédito da foto: Reprodução / Facebook

Com a reabertura dos espaços culturais paulistanos em meio à pandemia da Covid-19, após o anúncio de que a cidade de São Paulo avançou à fase verde do plano de flexibilização da quarentena, a Pinacoteca apresenta uma de suas exposições mais aguardadas do ano: OSGEMEOS: Segredos. A exposição começou em 15 de outubro e segue até fevereiro de 2021.

Gustavo e Otávio Pandolfo são os nomes de batismo por trás da grife OSGEMEOS. A mostra, que estava sendo gestada há mais de dois anos e havia sido programada para 28 de março, ficou quase sete meses paralisada por conta do fechamento de museus e galerias, e é uma das mais intimistas incursões na obra da dupla que levou o grafite e a arte de rua paulistana para o mundo.

“Quisemos criar uma exposição um pouco diferente do que a gente já vinha fazendo, principalmente pelo carinho que temos pela Pinacoteca”, contam os irmãos em entrevista dada por telefone à reportagem. “Queríamos que parte dessa experiência tivesse um caráter retrospectivo. Fizemos uma pesquisa intensa para buscar todas essas informações, referências e trabalhos, e botar isso tudo junto.”

Fotos de família, lembranças de infância, objetos que marcaram a vida dos gêmeos Gustavo e Otávio Pandolfo, nomes de batismo por trás da grife OSGEMEOS. Esses e muitos outros itens presentes na mostra (cerca de 1.100) fazem um inventário da trajetória da dupla. “A gente mostra um pouco de tudo, desde os primeiros desenhos de criança. As referências de infância, que foram muito importantes para nós e ajudaram a despertar o caráter imaginativo. Ali, você percebe que começa bem cedo”, pondera um dos irmãos. Esse lado nostálgico, no entanto, caracteriza apenas uma das salas da exposição, que ocupa toda a Pinacoteca.

Algumas das peças mais raras são desenhos da dupla, que praticamente nunca são expostos, apesar de eles classificarem esse traço mais cru como o “alicerce do trabalho”.

Para eles, a arte de rua e as galerias são complementares. Segundo os irmãos, a rua tem a sua magia e os espaços expositivos servem como uma oportunidade de construir esse universo lúdico e torná-lo presente na vida das pessoas de uma forma tridimensional, bidimensional, sonora.

O período de isolamento social foi marcado por reflexão para a dupla, que não saiu nem mesmo para as aberturas de suas exposições recentes em Nova York e Seul. “Desde que foi decretada a quarentena, respeitamos. Cancelamos todos os trabalhos externos, não temos feito nada na rua. Ficamos entre casa e estúdio, nos cuidando e pensando em projetos futuros”, comenta.

Exposição de OSGEMEOS lidera a reabertura dos museus em SP
Pinacoteca reabriu em 15 de outubro com OSGEMEOS, mostra que estava sendo gestada desde março. Crédito da foto: Divulgação

Apesar do reconhecimento internacional, para a dupla é especial apresentar uma exposição desse porte em sua terra natal. “Nossa história é em São Paulo. Muita gente aqui acompanha nosso trabalho desde os anos 1980, quando começamos. Já quando vamos fazer um trabalho fora, não é nossa cidade natal. Sempre tivemos um carinho pela Pinacoteca, nos sentimos em casa, temos total liberdade de montar aquilo que a gente acredita. Até em termos de material, encontrar o que precisamos para montar alguma coisa.”

No entanto, eles admitem que o reconhecimento nos círculos mais formais do universo brasileiro das artes plásticas só veio a partir do sucesso no exterior, especialmente depois de 1998, quando expuseram seu trabalho pela primeira vez na Alemanha. É desse país também que vem uma das peças mais importantes da mostra da Pinacoteca, uma escultura gigante de aproximadamente 17 metros de altura, com os traços característicos dos grafites d’OSGEMEOS. A peça foi feita para um espetáculo em parceria com o grupo de dança Flying Steps no museu Hamburger Bahnhof, em 2019, e desde então é a primeira vez que ela é exibida.

“Temos passado por tantos momentos tristes com essa pandemia, esperamos que a exposição traga um pouco de alegria, distração e energias boas. É importante que essa retomada aconteça com toda a segurança”, afirmam OSGEMEOS. Para que isso ocorra, a Pinacoteca adotou rígidos protocolos sanitários. A bilheteria estará fechada e os ingressos serão adquiridos com antecedência, para evitar as características filas e aglomerações de exposições desse porte.

Regras sanitárias

Os visitantes devem chegar à Pinacoteca com antecedência de 15 minutos a 1 hora e sua temperatura será medida na entrada. O estacionamento estará fechado, será obrigatório o uso de máscara e é recomendável evitar levar bolsas e mochilas, pois o guarda-volumes estará limitado. Dentro do espaço expositivo, haverá sinalização indicando o sentido de circulação dos visitantes, que devem respeitar o distanciamento mínimo de 1,5 metro. Mais informações pelo http://pinacoteca.org.br/ (André Cáceres – Estadão Conteúdo)

Comentários