Buscar no Cruzeiro

Buscar

Espetáculo ‘Nhanderuvuçu’ ganha versão audiovisual

20 de Abril de 2021 às 00:01

Espetáculo ‘Nhanderuvuçu’ ganha versão audiovisual O espetáculo traz música ao vivo com o músico e diretor Leandro Pfeifer e, também, modernos videocenários do VJ José Sampaio. Crédito da foto: Fernando Almeida / Divulgação

O espetáculo teatral “Nhanderuvuçu -- O Menino Trovão”, do Grupo Manuí, de Sorocaba, lançado nos palcos em 2018, ganhou uma versão audiovisual que estreia a partir desta quinta-feira (22) no canal do grupo no YouTube (youtube.com/manuiproducoes). O enredo aborda o mito Guarani da criação humana, uma tradição oral estimada em 12 mil anos, e é adaptado do livro “A Voz do Trovão”, fruto de 12 anos de pesquisa do escritor Kaká Werá em aldeias Guaranis do Brasil e do Paraguai.

O espetáculo foi viabilizado com o apoio do edital do Proac - Lei Aldir Blanc, de fomento aos artistas durante a pandemia de coronavírus. Serão seis exibições ao vivo no canal do Youtube do grupo: nesta quinta-feira, às 19h; na sexta-feira (23), às 10h, 16h e 19h; e no sábado (24), às 16h e 19h. Após cada exibição haverá ainda um bate-papo com o grupo.

A nova versão parte do olhar do premiado diretor Ricardo Camargo, com produção de Bel Cenci e Lucas Zalla e cenário de Melissa Branco. A intenção do grupo com o trabalho é contribuir para a difusão da cosmovisão milenar nativa que, apesar de revelar traços profundos da identidade cultural brasileira, é pouco divulgada em produções artísticas.

Com esse mesmo objetivo, o espetáculo teatral circulou por unidades do Sesc de todo Estado de São Paulo e, em 2019, representou o Brasil no Festival Internacional de Teatro de Setúbal, em Portugal, além de ter sido um dos selecionados do Festival Internacional de Teatro de Sombras (FIS), em Taubaté, e do Festival de Teatro de Limeira.

A história foi filmada no Parque do Varvito, em Itu, e, assim como no teatro, mescla manifestações artísticas antigas como o teatro de sombras, da sombrista Urga Maira; a arte de contar histórias da diretora e atriz Tatiana Zalla; e a música ao vivo com o músico e diretor Leandro Pfeifer; além de modernos videocenários do VJ José Sampaio, com músicas sampleadas, técnicas e efeitos de audiovisual.

Além do registro do espetáculo em vídeo, as gravações também resultarão num filme de média-metragem contando a história do menino trovão. Com as mesmas técnicas artísticas utilizadas no teatro, o filme ainda contará com cenas especiais que trarão ainda mais ludicidade e magia ao mito guarani. A versão cinematográfica ainda está sendo filmada e ganhará as telas futuramente, com estreias on-line e também presencial, quando a pandemia de Covid-19 permitir.

O Grupo Manuí foi criado em 2002 e está sediado em Sorocaba desde 2016. Tem o propósito de ser uma ponte entre a sabedoria presente nas histórias dos povos originários e o momento atual, por meio de manifestações artísticas como o teatro, histórias e a música. (Da Redação)