Cultura Mais Cruzeiro

Cia. Clássica de Repertório estreia ‘Servidão humana’

As relações amorosas e a dificuldade que as personagens têm de manter o controle sobre os sentimentos são o foco

O romance “Servidão humana”, do francês W. Somerset Maugham, será readaptado para os palcos no espetáculo homônimo da Cia. Clássica de Repertório que estreia neste domingo (30), às 20h, no Teatro Escola Mario Persico (rua da Penha, 823, Centro). Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Com direção de Mario Persico, a montagem é encenada pelos atores Tiske Reis, Giovana Tegani, Gabriele Clemente e Tomas Moreno. Segundo Persico, embora a história de “Servidão humana” seja principalmente conhecida pela relação masoquista do casal principal, a intenção de Sommerset Maugham foi escrever um romance filosófico. “Ele quis lançar um alerta para todos aqueles que se deixam enredar pela armadilha de uma visão romântica da existência, baseando-se nas palavras do próprio Espinosa: “Chamo servidão à impotência do ser humano para governar ou restringir (às suas) emoções”, afirma.

Leia mais  Paulo Gustavo segue estável e passa por pleuroscopia

Nesta adaptação, o foco também são as relações amorosas e a dificuldade que as personagens têm de manter o controle sobre esses sentimentos. A adaptação de Mario Persico se fundamenta na tese de Étienne de La Boétiee e o discurso da “Servidão voluntária”, como forma para se entender como algumas pessoas se submetem a tanto sofrimento em nome de um suposto amor que só os arrasta a ruína e a destruição. A Cia. Clássica de Repertório realizou na década uma primeira adaptação do romance na década de 1980, intitulada “Tangos”, tendo Mario Persico no personagem central. (Da Redação)

Comentários