Cultura

Centro de Tradições faz live para marcar Dia do Nordestino

Encontro virtual vai falar sobre a trajetória de Luiz Gonzaga
Centro de Tradições faz live para marcar Dia do Nordestino
Símbolo da cultura nordestina, cantor será um dos assuntos da live. Crédito da foto: Divulgação

Hoje, 2 de agosto, é comemorado o Dia do Nordestino e também o início da Semana da Cultura Nordestina no calendário estadual, uma forma de homenagear os milhares de migrantes que deixaram a terra natal em busca de melhores oportunidade no Estado de São Paulo. Para marcar a data o Centro Cultural de Tradições Nordestinas de Sorocaba e Região (CCTN) realiza live hoje, às 18h, que, entre outras coisas, vai falar sobre Luiz Gonzaga, um dos símbolos culturais do Nordeste.

A data foi instituída em referência à morte do rei do baião, Luiz Gonzaga, que faleceu há 31 anos. Quatro anos depois da morte do sanfoneiro pernambucano, em novembro de 1993, a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) estabeleceu a lei nº 8.441, que reconhecia a data e a incluía no calendário turístico.

Centro de Tradições faz live para marcar Dia do Nordestino
Presidente do CCTN, Selma Araújo. Crédito da foto: Arquivo JCS

Para a presidente do CCTN, Selma Araújo, mais do que instituir uma data comemorativa, a lei estadual reforça a importância de se preservar as raízes do povo brasileiro. “Está na Constituição Federal que é dever do município, Estado e da União garantir a cultura e suas tradições vivas de comunidades tradicionais fora da sua região de origem e ser cada vez mais fomentadas”, enfatiza.

Leia mais  Sesc Sorocaba apresenta neste sábado o festival Recomeço

De acordo com Centro Cultural, o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010, apontava um contingente de mais de 150 mil nordestinos que viviam e trabalhavam na cidade. Apesar do número expressivo de migrantes, a cultura tão diversa desse povo foi introjetada apenas de forma subjetiva, sem valorizar as riqueza e variedade. “Ao longo do processo, tivemos muita apropriação cultural, e o pouco que já entrou infelizmente, já está se perdendo como, por exemplo, o folclore”, analisou a representante do CCTN.

Do Sertão para Sorocaba

Em 1955, aos 9 anos de idade, Mary Dantas Agostinelli, deixava a cidade de Patos, no interior da Paraíba, para desembarcar em outro interior, no município paulista de Sorocaba.

A folclorista e radialista da rádio Cruzeiro FM 92,3 vivenciou logo cedo um das dificuldades recorrentes, e ainda atual, para nordestinos que migram no País, o preconceito.

No início de sua carreira escolar, a radialista foi recriminada por cantar no coral da escola o Hino Nacional com seu típico sotaque paraibano. À época, sua mãe precisou ir à escola defender não só sua filha, mas também sua cultura e suas raízes. “Mamãe chegou na diretoria e pediu um mapa do Brasil para a diretora. Ela apontou para o Estado da Paraíba e disse que nós também éramos brasileiras e falávamos português, que eu iria cantar sim no coral”, relembra.

Leia mais  Morre aos 104 anos Olivia de Havilland, atriz de ’... e o vento levou’
Centro de Tradições faz live para marcar Dia do Nordestino
Mary Dantas, folclorista e radialista. Crédito da foto: Arquivo JCS

Em comemoração à data especial, a radialista da Cruzeiro FM 92,3 Mary Dantas participou de uma live do jornal Cruzeiro do Sul. Para acompanhar a entrevista na íntegra basta acessar a página oficial do Facebook.

Por conta do distanciamento social, uma necessidade diante da pandemia do novo coronavírus, as comemorações do dia 2 de agosto serão diferentes este ano. Para manter as tradições vivas mesmo que à distância, o CCTN realizará hoje, a partir das 18h, uma live em sua página oficial do Facebook.

Entre outros assuntos, o encontro virtual vai falar sobre a trajetória de Luiz Gonzaga, o pernambucano que cantou o sertão, o povo, a cultura, a seca, e toda a riqueza do Nordeste através de sua poesia cantada.

A Secretaria Municipal de Cultura foi questionada sobre a realização de eventos, ainda que de maneira remota, em comemoração ao Dia do Nordestino e da Semana da Cultura Nordestina, mas não respondeu aos questionamentos da reportagem até o fechamento desta edição. (Wesley Gonsalves)

Comentários