Cultura

Artistas de Sorocaba preparam audiolivro sobre cartas ficcionais

Projeto é realizado com recursos provenientes da Lei Aldir Blanc

O audiolivro sobre cartas ficcionais “À Tecelã Por Vir”, criado por artistas de Sorocaba e aprovado pela Lei Aldir Blanc, deve ser lançado, em formato on-line, até o início de março. Quando finalizado, será disponibilizado no canal do projeto, na plataforma de vídeos Youtube.

O processo criativo do projeto ainda está em andamento, assim como as gravações no Aquarela Studios. “À Tecelã Por Vir” reúne 13 artistas, entre atores, músicos, ilustradores e escritoras.

As organizadoras do projeto, Débora Brenga e Gui Miralha, explicam que a ideia de criar o audiolivro surgiu no início do isolamento social, por meio de uma reaproximação e contato por redes sociais entre elas.

“Sempre tive vontade de fazer um projeto de cartas, porque na adolescência eu escrevia e recebia muitas. Essa saudade atinou meu desejo de trabalhar com isso. Das conversas contínuas com a Gui, começamos a escrever cartas uma para a outra, enviadas não pelo modo tradicional, mas on-line mesmo”, explica Débora.

Logo quando saiu o edital da lei Aldir Blanc, Gui ligou para Débora e a convidou para escrever o projeto. “Nesse momento, pensei em aproveitarmos nossas trocas e fazermos um audiolivro, já que na primeira carta que a Gui me enviou, ela havia criado uma figura ficcional”, complementa.

Leia mais  Wandinha Addams ganha série na Netflix

Cartas ficcionais

A obra contará com nove capítulos, mais o prólogo e o epílogo. No início do projeto, as escritoras das cartas, Débora (personagem B) e Gui (personagem A), chamaram o ator e professor teatral João Mendes para ser a personagem C.

Além dos três escritores intérpretes, o audiolivro conta também com a atriz Fefa Brito (figura D), cuja voz narrativa surge entre uma carta e outra.

Informações sobre a obra e os participantes são publicadas diariamente nas mídias sociais. O desenvolvimento pode ser acompanhado na página do Facebook (www.facebook.com/atecela.porvir) e do Instagram (@atecelapor). (Da Redação)

Comentários