Cultura

Cinema: Animação e terror são as novidades

Animação e terror são as novidades
Quase 80 anos depois, a clássica rivalidade entre Tom e Jerry ganhou uma versão para os cinemas. Crédito da foto: Copyright Warner Bros Entertainment

Indicado para toda a família, a opção é “Tom e Jerry – o filme”, longa em live-action baseado no clássico desenho animado dos estúdios Hanna-Barbera, que marcou a infância de várias gerações.

Dirigido por Tim Story e com roteiro de Kevin Costello, a produção traz Tom, o gato, e Jerry, o rato, em animação, interagindo com o elenco formado por Chlöe Grace Moretz, Ken Jeong e Michael Peña. A trama é ambientada num hotel na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, e retorna às origens da história de rivalidade ente ambos, mostrando como Tom e Jerry se conheceram. Prestes a sediar um casamento importante, os funcionários do local terão que lidar com a indesejável presença do ratinho Jerry, que foi para a “cidade grande”, assim como o gato Tom.

Chlöe Grace Moretz (de “Carrie: A Estranha) interpreta uma planejadora de eventos contratada por um hotel para organizar um evento de casamento, e que tem a missão de se livrar de um rato, Jerry, na festa. O longa em live-action é a mais recente produção da franquia Tom e Jerry, iniciada na década de 1940 e que já soma mais de 160 curtas de animação, várias séries de TV e filmes.

Leia mais  Morre o pioneiro da ficção científica

#Semsaída

Para os adultos, a novidade é o longa “#Semsaída”, um thriller de terror britânico e de baixo orçamento escrito e realizado por Will Wernick, protagonizado por Keegan Allen (da série “Pequenas Mentirosas”), Holland Roden (da série Gray’s Anatomy) e Denzel Whitaker (“Pantera Negra”).

No filme, uma estrela das redes sociais viaja com os amigos para Moscou para gravar novos conteúdos para o seu bem-sucedido vlog. Numa tentativa permanente de ultrapassar limites para satisfazer os desejos de um crescente número de seguidores, ele e os amigos aceitam participar num jogo mortal cheio de mistério, excessos e perigo.

À medida que a fronteira entre vida real e redes sociais se vai esbatendo, o grupo tem de lutar para escapar e sobreviver. (Da Redação)

Comentários