Cultura

Andarilho, primeiro álbum de Deds D, chega às plataformas

Rapper sorocabano fala sobre a mixtape e sua experiência como imigrante
Deds D usou o período de isolamento isolamento social Deds D usou o período de isolamento social para fazer os beats e escrever as letra. Crédito da foto: Reprodução/ Facebook/ Deds D

Rapper que começou a carreira nos palcos e batalhas de rua de Sorocaba e já soma mais de 40 singles no currículo, Deds D lança agora “Andarilho”, álbum de estreia com sete faixas inéditas, que estará disponível a partir de hoje nas plataformas de streaming.

Com bases que passeiam por diferentes ritmos, como o trap, o funk e o drill, “Andarilho” tem uma pegada mais alto astral que seus singles anteriores — alguns deles com videoclipes disponíveis no canal do artista no Youtube. Nas letras, conta Deds D, estão presentes elementos de sua experiência pessoal, a peregrinação pela Europa, indo do prazer de viajar até o estresse de lidar com problemas que encontrou na jornada como a dificuldade com a língua e episódios de preconceito. “Autoafirmação e metamorfose são as palavras que resumem o trabalho. Eu sou conhecido por sons mais tristes, mas isso não aparece nesse trampo. E não foi de propósito. Andarilho saiu com um astral mais pra cima, por isso também a metamorfose”, afirma.

Leia mais  Espaços culturais terão público reduzido

Todas as músicas de “Andarilho” são em português. Deds D passou mais de um ano na Irlanda e, durante este período produziu em inglês. Ficando quase um ano sem soltar sons com a sua língua nativa. “Acho que 95% do meu público é brasileiro. É bom voltar a produzir e a cantar em português”, assinala. Outro comentário do artista é que agora, na Espanha, é mais fácil se fazer entender em português.

Dentre as sete faixas, Deds D destaca “Sozinho no corre”. “Foi a primeira letra que escrevi da mixtape. Ela me fez escrever as outras músicas em português e também conta muita coisa da minha trajetória até aqui. Não tenho ‘padrinho’ no meio musical e todo meu crescimento foi orgânico mesmo. Sempre eu por eu, mas sempre junto com os parceiros”, comenta.

Andarilho, primeiro álbum de Deds D, chega às plataformas
Álbum, totalmente independente, chega hoje às plataformas. Crédito da foto: Divulgação

Falando em parceria, “Andarilho” é um trabalho totalmente independente e contou com algumas parcerias. Com mixagem e masterização de Dantas, arte gráfica de Alanzor, das sete faixas, três têm beats assinados pelo próprio Deds D e outros levam as digitais de DJ Noé, Betas e Logrema. Das “feat”, isto é, as participações especiais, Deds D admite que até pensou em fazer suspense, mas revela que a participação é de Tamara MC, a Futur15ta, que ele classifica como “uma monstra” das ruas sorocabanas.

Leia mais  Jabuti premiou obras que falam sobre feminismo e identidade

Sobre a experiência de morar na Europa e o futuro da sua carreira, Deds D acredita que, pelo menos por um bom tempo, continuará a produzir em português. Uma coisa que ele descobriu foi o tamanho da comunidade brasileira no exterior e acredita haver espaço para seu trabalho, em português, também no Velho Mundo. “A gente é gigante. Somos (os brasileiros) muita gente”.

Paulistano de nascimento, sorocabano de criação (e coração) e cidadão do mundo por vocação, Matheus Prado Santana, o Deds D, revela que “Andarilho” é fruto da quarentena. Todos os beats assinados por ele na mixtape foram feitos enquanto estava em Galway, cidade no interior da Irlanda, onde Deds D morou durante o último ano e enfrentou meses de confinamento obrigatório por conta da pandemia do novo coronavírus. Já as letras foram escritas por ele durante sua breve passagem de dois meses pela Galícia, na Espanha. “Sabia que teria um período de ócio na Espanha. Como já tinha os beats, aproveitei esse tempo para trabalhar nas letras. Um papel e uma caneta é tudo de que eu preciso”, finaliza o rapper que, atualmente, mora em Barcelona. (Da Redação)

Comentários