Covid-19 Economia

JCB pausa produção em Sorocaba como ação preventiva ao coronavírus

De acordo com a multinacional britânica, a medida no Brasil vai vigorar entre 30 de março e 22 de abril (previsão inicial)
JCB pausa produção na fábrica de Sorocaba como ação preventiva ao coronavírus
Linha de produção da JCB, em Sorocaba. Crédito da foto: Erick Pinheiro (27/9/2017)

A JCB decidiu pausar temporariamente a produção em sua fábrica em Sorocaba devido à pandemia do novo coronavírus. De acordo com a multinacional britânica, que também interrompeu os trabalhos em outras plantas pelo mundo, a medida no Brasil vai vigorar entre 30 de março e 22 de abril (previsão inicial).

O objetivo da medida é a segurança de seus colaboradores. A JCB é a terceira maior fabricante global de equipamentos de construção e agrícola.

Aproximadamente 400 pessoas trabalham na fábrica instalada em Sorocaba. Apenas os colaboradores da área de produção ficarão afastados.

Os funcionários de outros setores, como administrativo e engenharia, estão trabalhando em suas respectivas casas. O atendimento ao cliente também não foi interrompido.
atendimento ao cliente

“Essa pausa na produção, mantendo o suporte necessário para o mercado de máquinas, é uma delicada primeira resposta a uma situação difícil e sem precedentes, no intuito de cuidar do interesse dos colaboradores, da JCB, seus distribuidores e clientes, tendo claramente como principal preocupação a saúde e segurança de todos os envolvidos e o apoio aos nossos clientes que trabalham para manter rodando a economia do Brasil”, afirma José Luis Gonçalves, presidente da JCB para Brasil e América Latina. “Enquanto isso, a JCB vai continuar a avaliar as orientações e as ações do governo sobre o Covid-19 e o impacto associado a todas as operações da empresa”.

Alinhamento com o mercado

Segundo ainda o presidente, o movimento é também reflexo de um alinhamento com o mercado, que já começa a dar sinais de queda em todo o mundo. Por este motivo, em relação à exportação global, houve uma redução importante na demanda pelos produtos com a suspensão dos pedidos e adiamento das entregas.

“Apesar de ser um segmento essencial e crítico à população, por prover serviços de manutenção a equipamentos utilizados em saneamento, água e esgoto, esta não é apenas uma questão brasileira, é mundial. E com países como França, Espanha e Itália entrando em bloqueio, esses mercados-chave para equipamentos de construção reduzem de maneira considerável”, diz Gonçalves.

Próximos passos

Com uma rede de 13 distribuidores e mais 60 pontos de atendimento em todo o País, Gonçalves acredita que a JCB poderá aproveitar essa pausa na produção para projetar os próximos passos. A empresa também deverá priorizar máquinas com pedidos de clientes e assegurar que as peças e componentes sejam designados para atender esses pedidos quando a produção for retomada.

Leia mais  Ford permitirá adiamento de até 3 parcelas em financiamento de veículos

 

O setor único que seguirá ativo durante o período será a operação de pós-venda (peças e serviços). “Com todo o cuidado necessário, seguindo todas as recomendações dos organismos competentes, vamos garantir o suporte técnico e de peças para Distribuidores e clientes. A principal preocupação neste momento é a saúde e segurança de nossos colaboradores e prestar assistência aos nossos clientes.” (Da Redação)

Comentários