Canal 1

Na TV também existe a necessidade de se adaptar aos novos tempos

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery 
Na TV também existe a necessidade de se adaptar aos novos tempos
Cléber, Galvão e Luis Roberto, da equipe esportiva da Globo. Crédito da foto: João Miguel Júnior / Divulgação

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery 

Os métodos podem ser diferentes, mas, como em outros setores, as principais emissoras de televisão também já estão se ajustando a uma nova realidade.

A Globo, por exemplo, passando por cima do quanto custava, em um passado muito recente ainda se permitia manter um banco de atores, embora utilizasse apenas 20% ou 30% do elenco contratado.

A mesma coisa no esporte. Antes eram seus, com exclusividade, os direitos de transmissão de quase todas as modalidades, até um determinado momento em que a sua direção também se viu obrigada a rever vários desses compromissos.

Hoje, mais do que nunca, é necessário trabalhar em bases muito seguras e com maior responsabilidade.

O mundo da televisão mudou, mas mesmo diante de algumas transformações, não existe o risco de um estrangulamento no mercado. Além da própria TV, as produtoras independentes também são fundamentais no atendimento às provedoras de conteúdo, como Netflix, Amazon e Globoplay.

E no esporte, a mesma coisa. Várias competições já podem ser acompanhadas em diferentes plataformas.

Enfim, a TV aberta, com os pés no chão, continuará sendo a grande janela. Só que já existem outras.

Longa despedida

Vai demorar um pouco para o SBT sair da vida de Maisa Silva. E vice-versa. Entre outros compromissos, ela já tem um programa pronto, para exibição neste sábado, mas ainda vai gravar outros dois.

Fora de perigo

Por outro lado, e até ordem em contrário, os programas da madrugada não estão incluídos no processo de cortes do SBT. Danilo Gentili e Otávio Mesquita, que Silvio Santos considera “chiques”, estão bem calçados na parte comercial.

Duas etapas

Sobre esse processo de cortes no SBT, o que se sabe é que a primeira fase deles deve terminar na semana que vem. E uma próxima começar em novembro. Esse é o plano. Resta saber se, até lá, ainda vai sobrar alguém para mandar embora.

Direção inversa

Na contramão das outras emissoras, que desistiram de promover debates neste primeiro turno das eleições em São Paulo, porque são muitos os candidatos e os riscos à saúde, a TV Cultura cogita para fazer o dela. Há um trabalho neste sentido.

Novos tempos

A favor da modernidade imposta, o “Jornal Hoje”, na Globo, agora é “JH”, “Jornal da Globo” virou “JG” e o “Globo Esporte”, “GE”. Por enquanto, só o “Jornal Nacional” ainda resiste como “Jornal Nacional” mesmo. E o dólar subindo.

Programação

A propósito de Globo, nesta sexta, excepcionalmente, o “Globo Repórter” deixará de ser exibido por causa do futebol. Eliminatórias da Copa, Brasil e Bolívia, a partir das 21h20. Um teste: já há algum os jogos da seleção brasileira deixam a desejar em audiência.

Comentários