fbpx
Canal 1

Em tom de despedida, ‘A dona do pedaço’ também desperdiçou inúmeros talentos

Em tom de despedida, ‘A dona do pedaço’ também desperdiçou inúmeros talentos
Crédito da foto: Raquel Cunha / Tv Globo

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery

Em se tratando de “A dona do pedaço”, boa parte do elenco já encerrou a sua participação. Apenas alguns deles, os que formam o núcleo principal, continuam à disposição para gravar cenas dos últimos capítulos.

“A dona do pedaço” atendeu o que dela a Globo esperava e Walcyr Carrasco, uma vez mais, cumpriu a missão que lhe foi destinada, especialmente a de resgatar a tranquilidade na faixa das 21h.

Mas ficam algumas questões para melhor reflexão. E, uma em especial, vício antigo, que nos leva a bater na mesma tecla.

Ainda que em novelas com 160, 180 capítulos, comprovadamente não há necessidade de escalar um elenco tão numeroso, porque fatalmente as necessárias manobras da história sempre irão relegar a um segundo plano ou tornar desaparecidos a maioria desses atores. Foi o que aconteceu ou se repetiu agora com talentos na altura de Marco Nanini, Rosamaria Murtinho, Betty Faria, Tonico Pereira e inúmeros outros.

Leia mais  Com sertanejos, Roberto e esporte, Globo define grade de fim de ano

Com toda a trama centralizada em oito ou dez personagens, foi uma judiação o mau aproveitamento de valores tão importantes.

Na contramão – Mas se teve tanta gente em “A dona do pedaço” que não teve oportunidade de aparecer melhor, Monique Alfradique se inclui entre aqueles que não podem se queixar. Mesmo entrando depois, a sua personagem, Yohana, ganhou forte destaque nesta reta final.

Consultoria – Em julho passado, esta santa coluna falou da possibilidade do executivo português, José Eduardo Mouniz, conhecido pelas funções que ocupou na TVI, prestar serviços como consultor na Band. Na ocasião, houve o desmentido. Mas, questão de tempo, agora a nota se confirma. Mouniz sempre foi uma pessoa muito próxima ao dono, Johnny Saad.

Curioso observar – Jornalista, torcedor, sempre existiu. Alguns vestindo mais fervorosamente e outros menos as camisas dos seus clubes do coração. A novidade agora, na reta final do campeonato brasileiro, com Flamengo e Palmeiras ainda na disputa do título, é torcedor no papel de jornalista, com alguns até saindo do sério. Está divertido. E não foi só o caso do Mauro Cezar versus Gian Oddi. Teve outros espalhados e tão acalorados nas redes sociais. Tudo bem, também. Quem não?

Leia mais  Caçulinha

Faltou acrescentar – Em meio a toda programação especial da Globo em dezembro, foi estabelecido também que a “Retrospectiva” do jornalismo será levada ao ar no dia 27. Como sempre, uma sexta-feira, no lugar do “Globo repórter”.

Definido – A anunciada mudança no horário de apresentação do “Jornal da Record” já tem data escolhida para acontecer. Será no dia 2 de dezembro, a partir das 19h45, na saída do “Cidade alerta”. Até então trabalhava-se com a data de 25 de novembro.

E outra – Também acaba de ser fixada para 10 de dezembro, faixa das 20h30, a estreia de “Amor sem igual”, no lugar de “Topíssima”. Novela de Cristianne Fridman, com Day Mesquita e Rafael Sardão como protagonistas.

Movimentação – Kléber Toledo gravou participação no “Zorra” e aproveitou para fazer um registro com a atriz Renata Castro Barbosa e a diretora Alice Demier. Detalhe: atores em férias das novelas e séries passarão a aparecer com frequência nesse programa dos sábados.

Comentários