Canal 1

“A Fazenda” não deixa ninguém na zona de conforto

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery
“A Fazenda” não deixa ninguém na zona de conforto
Marcos Mion, apresentador de “A Fazenda”. Crédito da foto: Edu Moraes / Divulgação

 

Flávio Ricco, com colaboração de José Carlos Nery 

Entrando nesta terça-feira (3) na sua oitava semana de exibição, “A Fazenda” é um sucesso em audiência e repercussão. Em números, perto dos 13 de média até aqui, só é superada pelas edições de 2009 e 2010, quando era completamente outro o momento da TV aberta. Impossível estabelecer qualquer comparação, assim como é quase nenhuma a chance de superar a casa dos 14 pontos.

De qualquer forma, o resultado é bem positivo para um trabalho que começou bem antes da sua estreia, em plena pandemia, mas com total segurança para a sua equipe e participantes. Assim como houve acerto da sua produção em montar um elenco, que começou a ser especulado três ou quatro meses antes da sua formação definitiva. Isso também serviu para “preparar o espírito” do telespectador e criar uma expectativa das mais positivas.

Leia mais  ‘Vou dar o meu melhor’, garante Galisteu

E um sucesso que mexe com a concorrência e com o mercado. Além de cinco patrocinadores fixos e mais de cem anunciantes em seus intervalos, é sempre saudável para a televisão como um todo a disputa de audiência em bons níveis. Não deixa ninguém na zona de conforto.

Só social

Além de gravar o programa da Mariana Godoy, exibido ontem, Reginaldo Leme participou de uma reunião com Antonio Zimmerle, seu velho parceiro de Globo. Também deu um alô na rádio Bandeirantes, durante a transmissão de Bragantino e Palmeiras. Mas, foi isso. E só isso.

Por enquanto

Ainda não existe nenhum plano de um programa diário de esportes no SBT. Aliás, são enormes as possibilidades de nem vir a existir. Aliás, isso nunca foi cogitado.

Carga total

Em se tratando de produtos ligados à sua dramaturgia, a Globo prevê uma retomada total até janeiro. Isso inclui os projetos em parceria com as produtoras Sony (O Anjo de Hamburgo) e O2 Filmes (Segunda Chamada), além daqueles endereçados para a Globoplay.

Leia mais  Marcas do Justus

Rumores

Na semana passada, circulou uma informação que Edna Palatnik, gerente de Desenvolvimento de Dramaturgia da Globo, 22 anos de casa, estaria deixando o departamento. A Globo, consultada, negou. Diz que a profissional segue contratada.

Determinação

Na dramaturgia da Globo, entre autores e diretores, já existe a ordem que nas escalações das próximas novelas ou séries, a prioridade é chamar quem já está na casa. Otimizar o aproveitamento do elenco contratado.

Comentários