Brasil

Witzel promete promoção a atiradores que mataram sequestrador

Perguntado por jornalistas se os snipers que mataram sequestrador iriam responder pelos disparos, governador do Rio negou e disse: "ao contrário, vou recompensá-los"
Governador Witzel, do Rio, desce do helicóptero, na ponte Rio-Niterói, comemorando fim do sequestro
Governador Witzel, do Rio, desce do helicóptero, na ponte Rio-Niterói, comemorando fim do sequestro. (Crédito da foto Reprodução/TV Globo

 

Os atiradores de elite que mataram um sequestrador no Rio de Janeiro nesta terça-feira (20) serão promovidos. A promessa foi feita pelo governador do Estado, Wilson Witzel (PSC), durante entrevista coletiva, após o encerramento do episódio. De acordo com o governador, a ação dos policiais deve ser comemorada, porque salvou muitas vidas.

Witzel enalteceu a ação policial, especialmente dos atiradores de elite que mataram o sequestrador identificado como ex-vigilante Willian Augusto da Silva. O homem manteve reféns em um ônibus na Ponte Rio-Niterói, durante três horas e meia.

Leia mais  Sequestrador é morto por atirador de elite na ponte Rio-Niterói

 

Na coletiva, Witzel foi questionado se os atiradores de elite – conhecidos como snipers – da Polícia Militar responderiam pelos disparos. O governador não apenas afastou a possibilidade como anunciou que os policiais serão promovidos por bravura. “Pelo contrário, serão condecorados e promovidos”, disse.

Governador comemora

O governador afirmou ainda que conversou com familiares do sequestrador que manteve reféns em um ônibus. De acordo com informações oficiais, o sequestrador foi morto após ser baleado por um sniper da PM na perna esquerda.

“Falei com a família dele, eles pediram desculpas aos reféns, aos familiares do reféns, pediram desculpas pelo ocorrido. Porém, vamos dar assistência. Disse que não precisava pedir desculpas, que não falhou na criação (do sequestrador)”, afirmou o governador.

Após o fim da ação, por volta das 9h30 de terça-feira, Witzel foi de helicóptero ao local. Ele desceu celebrando com as mãos para o alto o desfecho. E seguida, conversou com agentes de segurança que estavam no local.

“Essa solução não era a melhor possível, ideal era que todos saíssem com vida, mas nossa prioridade era salvar os reféns. Foi um trabalho muito técnico da PM que soube aproveitar a melhor oportunidade”, completou Witzel. (Da Redação)

Comentários