Brasil

Últimos dias de 2020 registram explosão de feminicídios no País

Em três casos, os assassinatos foram cometidos a faca e na frente dos filhos
Uma mulher é vítima de feminicídio a cada 36 horas no Estado de São Paulo
Em 2018, houve 148 feminicídios em São Paulo. Crédito da goto: Marcos Santos/ USP Imagens

O Brasil registrou um grande aumento de feminicídios nos últimos dias de 2020. Foram pelo menos oito ocorrências semelhantes no atual período de festas de fim de ano. Em três desses casos, os assassinatos foram cometidos a faca e na frente dos filhos. Houve registros no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

O caso mais recente ocorreu na noite de terça-feira (29), no Complexo do Alemão, zona norte do Rio. Segundo a Polícia Civil, Roberta Pedro de Oliveira foi assassinada a facadas pelo ex-companheiro. Ele também é acusado de lesão corporal contra a ex-cunhada.

O acusado se entregou à noite, na 23ª Delegacia de Polícia, no Méier, também na zona norte. Foi então encaminhado para a Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), que investiga o caso.

Leia mais  Acidente deixa, ao menos, 19 mortos no Paraná

Na véspera do Natal, chamou a atenção de todo o País o assassinato da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos. Ela foi morta, a facadas, pelo ex-marido, Paulo José Arronenzi, de 52 anos, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. O crime foi cometido na frente das três filhas do casal — duas gêmeas de 7 anos e uma de 9 anos.

Cajati

Também na terça-feira, a Polícia Civil de Cajati (SP) prendeu um homem de 37 anos acusado de tentar matar a companheira com golpes de tesoura. Ele só parou as agressões depois de contido pela filha da vítima, de 13 anos.

Após atacar a vítima que já possuía medidas protetivas de urgência contra o companheiro, o homem se escondeu na casa de uma tia. A equipe foi até o local e conseguiu capturá-lo. (Estadão Conteúdo e Redação)

Comentários