Brasil Covid-19

Simulação de vacina pode levar à cadeia

Simulação de vacina pode levar à cadeia
Os casos de simulação têm ocorrido em diversas localidades. Crédito da foto: Arquivo JCS

A técnica de enfermagem Rozemary Gomes Pita, de 42 anos, que simulou ter aplicado uma dose de vacina contra Covid-19 em um idoso em Niterói, na região metropolitana do Rio, foi indiciada pela Polícia Civil do Rio por peculato e infração de medida sanitária preventiva.

O inquérito foi encaminhado ao Ministério Público, que vai decidir se denuncia Rozemary, arquiva o caso ou pede a continuidade das investigações. Se ela for condenada, a pena pode chegar a até 12 anos de prisão pelo peculato e a 1 ano e 4 meses pelo outro crime.

Em depoimento, a técnica de enfermagem afirmou que estava “cansada e estressada”, mas não soube explicar por que deixou de aplicar a vacina, segundo a polícia. A Secretaria Municipal de Saúde de Niterói informou ter desligado a profissional de saúde de seu quadro de funcionários.

Leia mais  Kassab é denunciado por ‘lavagem’

“No vídeo, ficou registrado que o acompanhante do idoso inclusive perguntou se ela havia aplicado a vacina corretamente, e ela respondeu com ironia, confirmando que o fez. Ela sabia que o líquido estava ali”, afirmou à imprensa o delegado Luiz Henrique Marques Pereira, da 76ª DP (Niterói).

O caso aconteceu em 12 de fevereiro, no posto drive-thru de vacinação do campus da Universidade Federal Fluminense (UFF), no Gragoatá, bairro de Niterói. Segundo a Secretaria de Saúde de Niterói, logo depois profissionais da saúde foram à casa do idoso e aplicaram corretamente a vacina. (Estadão Conteúdo)

Comentários